quarta-feira, 4 de junho de 2014

Astrid y Gaston, Lima

A culinária do Peru é tida como uma das melhores do mundo e esse é um título que atiça à curiosidade de qualquer um. Como não nos submetermos a testar esses sabores?

Assim, pesquisamos um pouco e foi fácil chegar numa escolha final:



Atualmente o 18o. melhor restaurante do mundo no cobiçado ranking da respeitada revista Restaurant teria de fazer parte das nossas próximas aventuras gastronômicas.


Chegamos a pensar em fazer uma reserva para a opção à la carte num dos restaurantes do grupo, por uma questão de custo, pois imaginamos que os preços seriam parecidos com os do restaurante DOM (7o. no ranking da mesma revista), em São Paulo (absurdamente caro para nossos padrões). Não foi o caso. No Brasil, infelizmente, o (muito) elevado custo dos serviços e alimentação, tornou um luxo distante frequentar tais restaurantes. Não que o Astrid y Gaston seja barato, muito longe disto.

Coincidentemente descobrimos que o Astrid y Gaston estaria de casa nova a partir de 31/3, a Casa Moreyra. Muito conveniente, já que viajaríamos para Lima em maio. Foi aí que soubemos do menu degustação "Virú, un viaje por el Perú de hoy" – 29 pratos servidos em aproximadamente 3 horas utilizando ingredientes, técnicas e elementos do oceano Pacífico, deserto, Altiplano e Amazônia. O número assusta, mas as porções são pequenas e de sabores delicados. O que poderia ser melhor para provar a culinária peruana?

O processo de reserva não foi tão fácil, pois o sítio do restaurante na internet não ajuda. É confuso, simplista demais e ainda por cima não esclarece muito sobre o processo de reserva. Mandamos o e-mail de solicitação de reserva em 22/3 para uma reserva no dia 15/5 e recebemos uma resposta automática dizendo que a partir daí receberíamos um contato personalizado. Nossa ansiedade só terminou dia 03/4 quando recebemos a confirmação da reserva e posteriormente com a solicitação de confirmação com 48 hs. de antecedência.

Chegado o dia fomos ao restaurante com a mais alta das expectativas.

Com nossos nomes já identificados na lista de reserva, fomos encaminhados para uma área diferente – uma recepção em que nos explicaram como seria o menu degustação Virú

Conduzidos a uma varanda interna, com tons claros e sem detalhes marcantes na decoração. Pareceu-nos que tudo era discreto pra realçar apenas a comida. Funcionou.

Inicialmente, foi servido um coquetel a base de whisky, cointreau e ervas locais. Suave e refrescante.


Enquanto bebíamos, surgiu a primeira surpresa: colocaram na nossa mesa uma galha com algumas folhas de massas crocantes, feitas com vários grãos regionais. Era o prato Espíritu. Acompanhando, uma pasta delicada de tomate temperada com ervas cultivadas na própria horta do restaurante (visível na entrada). Daí o nome do prato: Raíces y hierbas.


Em seguida, veio um prato à base de azeitonas – Aceituna de bodega – que para quem espera o sabor forte das azeitonas em conservas irá se surpreender com a suavidade desse prato.


Assim que terminamos, um dos sommeliers da casa nos apresentou a opção de maridaje, que seria a harmonização da comida servida no menu degustação com várias bebidas. Optamos pelo acompanhamento de bebidas, sim. A escolha dos vinhos, cerveja, sakê, pisco... tornou a experiência mais saborosa (e cara, claro!).

Tem um alerta em relação à maridaje: se você beber rápido demais, os garçons prontamente repõem a bebida, mas o que pode parecer bom na realidade acaba comprometendo, pois o risco de embriaguez é alto. Só para lembrar, leia o parágrafo acima pra ver a mistura de bebidas que você vai fazer. Portanto, a regra é saborear tudo lenta e intensamente!


O próximo prato foi a Zanahoria, tinta de calamar – servido com a tinta do próprio molusco. Na nossa opnião, foi a entrada que mais se destacou em sabor dentre as servidas.


Ainda sentados na varanda, recebemos a última das entradas, servida em uma serpente de louça. Eram três tipos de pele bem crocantes (salmão, porco e outra que não nos lembramos) e o nome do prato era Pieles anticucheras. Tudo muito suave.


Ao final das entradas, todas servidas continuamente, sem atrasos ou pressa, fomos convidados para sentarmos na mesa do salão, de cores tão suaves quanto a varanda, onde os pratos principais continuariam servidos.


Em outra delicada apresentação, o maître nos apresentou os elementos dos próximos pratos. Agora, conheceríamos os sabores frágeis do Oceano Pacífico.
No salão, o primeiro prato nos trouxe uma trilogia de sabores do mar, degustados da direita para esquerda em grau de intensidade: um trio de ceviche de pepino dulce, erizo y almendras, um delicioso Langostino de mar, encurtidos e, à direita, com um Alfajor de anchoveta (isso mesmo: um alfajor de peixe). A harmonização da bebida foi feita com um vinho orgânico suave.



O prato seguinte tem uma textura areada, leve – Playa de Pisco.


Depois foi a Lancosta, pacae, maca (lagosta, fruta pacae e o tubérculo maca).


O Espárragos del sur foi o mais suave dos sabores, mas surpreendeu com as bolinhas de gema de ovo congeladas em nitrogênio... Explodiam na boca!


O delicado Escabeche de caballa. Foi o mais saboroso dos frutos do mar. E foi harmonizado com um sakê bem suave.



A próxima etapa foi anunciada como os elementos do deserto, onde há espaço para aventura.

Assim começamos! Com o surpreendente Recuerdo de Cantalloc, que foi servido com um pouco de pisco (cachaça de milho roxo), misturando os sabores em uma espiral de pedra. No final, tivemos de beber de canudo!


Depois, o prato servido - Cangrejo, ortiga - teve uma inusitada mistura de sabores: carangueijo servido de modo delicado.


E outro com folhas de urtiga, servidas em uma pedra azul linda. Fiquei na dúvida se era Lapis Lazulli, Opala ou Turquesa. Quem souber...


Esse foi o momento da harmonização com um espumante brut que tinha uma suavidade de demi-sec mas sem o sabor adocicado.


Parece uma maratona gastronômica? Nada disso. Chegamos à metade do percurso. E ainda seríamos maravilhados. Ainda iríamos entrar nos elementos andinos recheados de nostalgia.

Foi servido um prato típico dos Andes, em que batatas são assadas envoltas em uma terra batida e assadas em forno. Esse é o Huatia.



Em seguida, uma nova mistura de sabores nos arrebatou: Choclo, queso, rocoto (fruta peruana), coca sagrada e molle.


Para limpar o paladar, recebemos uma deliciosa Frutillada.


Antes de começarmos as carnes, recebemos a harmonização de um vinho bem leve, cujo sabor é de vinho branco, mas a cor é de tinto. Conhecemos o pinot noir da vinícola William Cole.


Chegamos ao momento do orgulho da região Altiplana, ou seja, vamos trilhar pelos sabores mais fortes e carnes.

E assim foi com os Brotes de quinua.


Depois, truta frita na gordura de pato - Trucha, chirimoya (fruta típica) y pato.


E o sommelier trocou nossas taças para provarmos um vinho tinto Cabernet franc (mais leve que um cabernet sauvignon) da região de Mendoza.


Uma carne bovina incrível, com textura, sabor ativo... Delícia. Foi a Patada de res.


Provamos um cordeiro macio, acompanhado por mais um tubérculo peruano – Oca, cordero, salvia.


E a Papada tostada, sachaculantro e sua gordura que lhe dá um sabor bem particular.


Finalizamos com a travessura do Amazonas... Os doces!
Sua majestade o chocolate não podia faltar.


Por fim, para acompanhar as sobremesas, foi-nos servido a bebida típica do Peru: Pisco. É para quem gosta de bebida forte.


Uma mistura linda da frutas e cereais locais, como Aguaje, lúcuma e maiz morado.


A deliciosa Zapote (sapoti), lima.


E para encerrar essa experiência incrível, pastilhas de chocolate saborizadas – Monedas – acompanhadas com um extrato de café gelado.


O Astrid y Gastón não pode ser considerado um mero restaurante. Seria uma ofensa a essa estrutura de vários ambientes que funcionam para surpreender o paladar e os olhos. É um toque de ciência culinária e arte para simplesmente encantar. Nada é medíocre.

Por estes motivos, pedimos desculpas aos nossos leitores pois não estamos à vontade para utilizar os mesmos critérios de avaliação que usamos para os restaurantes "normais".

Por último, não podemos omitir o aspecto financeiro, afinal de contas como todo luxo, não é barato experimentar esses mimos gastronômicos. Ah, a água com gás é San Pelegrino (foi a mais cara que já pagamos em nossas vidas ...).

Se não quiser gastar tanto, sugerimos o salão “à la carte”, ou mesmo um dos menus mais curtos que, certamente, não pecam em qualidade.

Nossa impressão sobre essa noite? Magia !!!


Se você deseja mais detalhes sobre esta aventura maravilhosa (inclusive preço), não deixe de entrar em contato conosco.

Veja outras dicas de Lima na publicação que fizemos sobre a Capital Chilena.



Acompanhe as publicações da nossa viagem pelo ChileColômbia e Peru na página resumo.



26 comentários:

  1. Muito interessante este restaurante. E mais legal foram as fotos que deram uma idéia do que é este fantástico menu. Fiquei curiosa para saber o preço que cobram pelo menu degustação.
    Obrigada pelas suas informações.
    Nina

    ResponderExcluir
  2. Qual foi o custo do menu degustação para cada um, junto com a harmonização das bebidas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro leitor, envie-me seu contato que terei prazer em respondê-lo.

      Excluir
  3. Olá, José, qual o valor do menu degustação? meu contato é kellelana@gmail.com.
    Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, enviei a resposta à sua dúvida para seu e-mail.

      Excluir
  4. Viajei só pela leitura, você poderia me mandar o custo de toda experiência por e-mail: jhuan_pedro7@hotmail.com muito obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro leitor, ficamos muito felizes que tenha gostado da nossa publicação do Astrid y Gaston.
      Enviamos sua dúvida para seu e-mail.

      Excluir
  5. Boa tarde José,
    Gostaria de saber o valor do menu degustação. Meu e-mail é danielagcunha@gmail.com.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José, seu e-mail não chegou. Poderia mandar novamente?
      Obrigada

      Excluir
    2. Cara Daniela, resposta enviada para seu e-mail.

      Excluir
    3. Olá José, também me interesse em saber o custo do menu degustação deles. Estou indo pra lá em setembro e tenho um interesse enorme em conhecer os pratos do chef Gaston. Alias, além do custo, pode me dizer se foi necessário fazer reservar antes e se sim quanto tempo antes?

      meu e-mail alexandre.poseddon@gmail.com

      Excluir
    4. Caro Alexandre,

      O valor do menu "Virú largo" foi de S/345 por pessoa (R$355 em valores de hoje). Porém, como já tem algum tempo que viajamos, vale à pena você checar os valores atualizados com eles.

      É imprescindível reservar pelo menos uns dois meses antes. Se eu fosse você, já reservaria agora.

      Espero que você faça uma ótima viagem.

      Excluir
  6. Meu email é pauloadilson@gmail.com. rss obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há mais de uma opção de menu degustação no Astrid y Gaston. Como o nosso propósito era viver a experiência por completo, nós optamos pelo menu longo, o "Viru Largo". Ele nos custou S/345.00.

      Há ainda a opção pelo acompanhamento com bebidas, a "maridaje". Custou-nos mais S/240.00 por pessoa. Vale alertar também para o preço da água mineral: S/16.00 a unidade.

      Os preços estão em nuevos soles, a moeda peruana. Pela cotação atual, considere R$1,00 = S/1.12.

      É verdade que os preços são muito altos, mas vale ressaltar que o restaurante é uma viagem às tradições peruanas por si só. Não nos arrependemos por um centavo sequer do valor pago.

      Excluir
  7. Fiz um vídeo da minha visita ao restaurante. Vejam aqui:
    https://www.youtube.com/watch?v=okgxD98Pr48

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo post, José!
    O menu longo custou 345,00 ao total ou por pessoa?

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo post, José Neto.
    O preço de 345,00 foi o preço por duas ou uma pessoa?
    Meu email é: magdiel_man@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  10. Poderia me enviar o valor do menu degustacao por pessoa e do de bebida? Obrigada adorei o post
    july.moura@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliane!
      Que bom que gostou!
      O custo por pessoa foi de S/345 mais S/240 da "maridaje".
      Um abraço.

      Excluir
  11. Olá, poderia enviar o preço do menu degustação para maribap@gmail.com? Você tem o preço da degustação para almoço e para jantar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara leitora, o menu "Virú Largo" nos custou S/345 (aproximadamente R$372 pela cotação atual). Fomos no horário do jantar.

      Excluir
  12. Caríssimo, qual o custo total desta aventura gastronomica ? Penso em me embrenhar por ela com minha esposa em algumas semanas, mas preciso saber se tenho cacife para tanto. ivanir@uol.com.br, Att., Ivanir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O menu nos custou S/345, ou seja, pouco mais de US$100 por pessoa pela cotação de hoje.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...