quinta-feira, 20 de junho de 2013

Bordeaux



Chegamos no dia 23/3 a uma cidade conhecida por ser uma pequena Paris, cortada pelo Rio Garonne e a quinta maior da França. 

Conversaremos agora sobre uma das cidades mais esperadas da nossa viagem: Bordeaux!

A cidade exibe um belo centro construído no século XVIII, herança do próspero comércio gerado por seu porto, principalmente de vinho, de açúcar e, infelizmente, de escravos.



Onde ficar

Tivemos certa dificuldade para encontrar um hotel com uma boa localização e preço adequado para o nosso orçamento. Bordeaux tem uma característica diferente em relação às cidades que passamos, pois parte do seu centro é proibido ao trânsito de automóveis, o que nos dificultaria bastante.

Encontramos uma boa opção de estadia na região do lago ("Le Lac"). Ficamos no Campanile Bordeaux Nord - Le Lac. Ótima opção e preço justo, mas um pouco distante. Para quem não vai de carro, há opções de transporte usando ônibus ou tram (bonde elétrico), mas isso não o livra da demora para chegar ao centro.


Principais atrações

Se você está de carro, uma boa opção para deixá-lo no centro é a Place des Grandes Hommes, pois ela é bastante central e muito conveniente.



No dia seguinte deixamos o carro no estacionamento e iniciamos nosso passeio a pé pela maravilhosa Église Notre-Dame. Como bem nos disse um simpático senhor a quem pedimos informação, ela é menor que a de Paris, mas muito linda. Sinceramente, perdoem-me os parisienses, mas eu achei a de Bordeaux bem mais bonita!




Deixamos a Église Notre-Dame em direção ao imponente Grand Théâtre, onde fica a Opéra National de Bordeaux. O prédio e a região são lindos! É uma mistura de prédios clássicos com o ar pitoresco de cidade do interior, mas sem perder as comodidades de uma cidade grande.



Saindo da Place de la Comédie, fomos à Place des Quinconces, criada entre 1827 e 1858 e onde encontramos o belo Monument aux Girondins. "La Gironde" é o nome dado a um grupo político da Revolução Francesa, majoritário na Assembléia da Convenção Nacional, mas que foram condenados à guilhotina por Robespierre na época do Terror que durou de 1793 a 1795.

Na nossa visita, havia também um enorme parque de diversões montado na praça.



Pegamos então a margem do Rio Garonne em direção à Place Jean Jaurès e à magnífica Place de la Bourse. Observe os belos Palais de la Bourse e o Hôtel des Douanes muito bem ornamentados por jardins floridos à sua frente.




Continuamos nosso passeio até a Place du Parlement e a Église St-Pierre.



Em seguida, chegamos à Porte Cailhau



Nossa intensão era ir até o interessante Musée de la Aquitaine, mas uma chuva começou a cair e ameaçar nosso passeio. 



Voltamos do início da Cours Victor Hugo.



Paramos na Place Camille Julian onde tomei um m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o café gourmant (café espresso acompanhado por pequenas porções de sobremesas) no simpático Café Simeone.

Terminamos nosso passeio na Place Rohan, onde pudemos encontrar o Palais Rohan  (Mairie de Bordeaux)



Tour Pey-Berland e a Cathédrale Saint-AndréNa Catedral, chamou-nos a atenção o seu processo de restauro com o contraste entre a fachada limpa e o restante, ainda manchado por anos de poluição.



Na volta para pegar nossa espaçonave, resolvemos entrar novamente na bela Église Notre-Dame.

A última dica da cidade é, se tiver oportunidade, não deixar de fazer um roteiro numa das vinícolas da região, afinal de contas você estará numa das regiões mais famosas do mundo pela qualidade (e quantidade) dos seus vinhos.

Para maiores informações visite o sítio de turismo da cidade.


Próxima etapa da nossa viagem será um lugar como eu nunca vi nem imaginei: Le Mont-Saint-Michel !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...