segunda-feira, 6 de julho de 2015

Vai para Montevidéu? Confira nossas dicas

É com muita satisfação que escrevemos um conjuntinho de dicas bem objetivas para você que pretende conhecer Montevidéu, uma das capitais mais legais da América do Sul. 


Falamos como viajantes: publicações com roteiros de viagens são muito bonitas, principalmente quando estão recheadas de fotos. Infelizmente não são suficientes para uma viagem tranquila, pois não respondem algumas perguntinhas básicas e necessárias, como quanto tempo ficar, onde se hospedar, transporte etc. São estas perguntas que vamos te responder hoje.



Não deixe de conferir também algumas dicas específicas sobre o Uruguai que escrevemos pra você.


Quando ir

Infelizmente o Uruguai não é um país barato para nós brasileiros, mais ainda numa época de crise como vivemos em 2015. Se pretende viajar no período de alta estação, prepare-se para gastar ainda mais.

Em relação ao melhor período para visitá-la, Montevidéu é uma cidade para se visitar em qualquer época do ano. Mesmo localizada bem ao sul das Américas, suas temperaturas não caem tanto como em outras capitais da mesma latitude, consequência das suas baixas altitudes. Chuvas também não são problema em nenhuma época do ano.

Entretanto, se você puder optar por viajar nas semanas que antecedem ao carnaval, irá encontrar a cidade no seu momento mais festivo. Montevidéu tem uma das festas de Momo mais tradicionais da América do Sul

Outras boas opções de período de viagem são as seguintes: 

Durante a Semana Santa o Parque Prado apresenta exibições típicas do gaúcho nas festividades da Semana Criolla.

Na última semana de setembro ou primeira semana de outubro, os monumentos nacionais, como igrejas e museus, abrem suas portas gratuitamente nos Días del Patrimonio.

Durante 10 dias de outubro, é a vez do Festival del Tango tomar as ruas e espaços teatrais de Montevidéu. 


Quanto tempo ficar

Nós sugerimos que você reserve ao menos três dias inteiros para conhecer a cidade com calma. O que fazer está detalhadinho na publicação nosso roteiro em Montevidéu.


Onde ficar

Nem tenha dúvidas que os melhores bairros para se hospedar são os vizinhos Pocitos e Punta Carretas. São bonitos, arborizados, cortados pela Rambla (a orla do Rio de la Plata) e ainda pertinho das principais atrações turísticas.

Hospedamo-nos no Palm Beach Plaza Hotel em Pocitos e nossa reserva foi feita pelo Booking.com. Demos nota 9,2 para nossa estada e ele tinha nota geral de 8,6 (806 avaliações) quando escrevemos esta publicação. Ficamos muito satisfeitos, principalmente com a receptividade e disponibilidade da equipe do hotel.  



Se você deseja ficar no centro, é importante saber que a região fica relativamente deserta fora do horário comercial. Por este motivo, não é recomendado caminhar à pé à noite. Vale ressaltar que não tivemos notícia de qualquer tipo de problema relacionado à segurança. Montevidéu é uma das capitais mais seguras da América Latina, mas lembre-se que você estará visitando-a como turista e não conhece todos os seus segredos.

Escrevemos uma publicação com 10 dicas de hotéis pra você. Confira.


Gastronomia

Deseja almoçar num lugar com a cara do Uruguai? Então vá para o Mercado del Puerto e prepare-se para se entregar aos prazeres da carne. É um deleite para os olhos e o estômago.



Os pratos são muito bem servidos. Pedimos uma entrada e um prato para uma pessoa e foi suficiente para nós dois (acompanhado de uma cerveja Patrícia). Pagamos cerca de $u 900 (R$118,42). 

A região do centro e da ciudad vieja também é repleta de cafés tradicionais, como o Café Brasileiro e o Oro del Rhin, abertos em 1877 e 1927 respectivamente. Eles são considerados verdadeiras instituições Uruguaias.

Entretanto, os bairros com maior fartura de bons restaurantes são mesmo os vizinhos Pocitos e Punta Carretas.

E não deixe de experimentar um chivito, um sanduichinho com quase tudo dentro. Vai encarar?




Compras e câmbio


Chegar em qualquer lugar do mundo sem um centavo da moeda local é sempre um problema. Mas não se deixe enganar pela propaganda das empresas de câmbio quando chegar ao país, pois as piores cotações que encontramos foram no aeroporto de Montevidéu. Nossa recomendação é que você troque no aeroporto apenas o necessário para sua locomoção até o hotel. Você irá encontrar cotações bem melhores tanto em Pocitos e Punta Carretas, como no centro. Não recomendamos sacar dinheiro com cartão de débito devido ao custo do IOF (6,38%).

Como já te dissemos, o Uruguai não é um país barato, pois quase tudo que eles consomem vem de fora. A exceção é para a carne, derivados de leite e os vinhos, principalmente da uva tannat, originária do sul da França e que se deu muito bem nas terras uruguaias. Combina perfeitamente com o sabor forte das carnes vermelhas. Portanto, não espere encontrar pechinchas na sua viagem à Montevidéu.

Os três grandes centros de compras da cidade são o Punta Carretas Shopping no bairro de mesmo nome, Montevideo Shopping, em Buceo, e o Tres Cruces Shopping, no andar de cima da rodoviária Tres Cruces.

Mesmo nós que somos um pouco avessos às compras, quando viajamos sempre queremos trazer para casa uma lembrancinha. Mas em Montevidéu tivemos dificuldades de encontrar algo com a cara da cidade, como por exemplo um artesanato típico (este não é o forte deles). 

Uma boa opção para quem faz questão de comprar umas coisinhas típicas do lugar é a rede de lojas Manos del Uruguay, instituição sem fins lucrativos que vende belos (e caros) artigos de vestuário fabricados manualmente. Visite o sítio deles para saber onde encontrar uma loja. 


Transporte


Para quem chega ao país pelo aeroporto de Montevidéu, a melhor opção é contratar um remis no próprio aeroporto, mas não são baratos. Contratamos o trajeto até Pocitos no balcão de saída da sala de desembarque e pagamos $u1.180 (R$155,26). Para o percurso de volta ao aeroporto, contratamos o remis no próprio hotel e pagamos $u900 (R$118,42).

Há também a opção pelo ônibus da Copsa. Eles saem de um ponto em frente ao terminal de desembarque do aeroporto e vão até o Terminal Suburbana no centro (esquina da Rio Branco e Galícia). O tempo de percurso é de aproximadamente 45 min.

Não tivemos problemas para usar transporte público dentro de Montevidéu. Ficamos hospedados em Pocitos e fomos de ônibus para todos os lugares que precisamos. As paradas possuem placas indicando o roteiro das linhas e não tivemos problemas em encontrar alguém disposto a nos ajudar. 



Como exemplo, nós pagamos $u 24 (R$3,16) pela passagem na linha 121 de Pocitos à Plaza Independência

A Indendencia de Montevideo dispõe de um aplicativo onde você insere a origem e o destino e ele te diz as linhas de ônibus que você pode pegar. Bem legal.

Se preferir usar os táxis, eles não são caros. Pagamos $u 150 (R$19,74) pelo mesmo percurso que fizemos de ônibus de Pocitos à Plaza Independência. Os táxis oficiais são pretos e amarelos. Todos eles têm uma tabela que faz a correspondência entre o código que se vê no taxímetro e o preço em pesos. É cobrado um adicional de 20% entre às 22h00 e às 06h00, finais de semana e feriados.

Obs.: Alertamos que todas as cotações aqui informadas são pertinentes a março/2015, portanto é importante que o leitor verifique novamente na data de sua viagem.




Confira também o roteiro detalhado de tudo que fizemos em Montevidéu.

Acompanhe outras publicações da nossa viagem pelo Uruguai e Argentina.



#Uruguai #Uruguay #Montevidéu #Montevideo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...