sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Forte das Cinco Pontas, Recife

Quem conhece um pouco do Recife, capital de Pernambuco, sabe que sua história foi marcada por um período de domínio holandês. O que poucos sabem é que foram apenas 24 anos, mas que deixaram registros muito mais relevantes do que um período tão curto pode sugerir.

Uma desses registros mais fortes remanescentes do período colonial, construído inicialmente pelos holandeses e posteriormente reerguido pelos portugueses, é o pequeno, mas bonito Forte das Cinco Pontas.




Em 14 de janeiro de 1638, o governante holandês Maurício de Nassau comentou:

“O Forte Frederik Hendrik, chamado das Cinco Pontas, tem cinco baluartes regulares. Está situado em uma ponta na ilha de Antônio Vaz, no Bairro de Santo Antônio, de onde se descobrem totalmente os navios surtos no porto de Recife, e por isto serve este forte para a defesa do mesmo porto. Acha-se edificado sobre um solo alto, que é o único caminho que poderia proporcionar ao inimigo o ensejo de aproximar-se do grande alojamento de Antônio Vaz, e protege também as cacimbas, as únicas que podem fornecer água do Recife e Antônio Vaz em ocasião de necessidade e cerco.”





Para começar, vale esclarecer o que provavelmente será a sua primeira pergunta ao chegar ao Forte das Cinco Pontas: "onde está a quinta ponta?" 

Para responder, vamos falar um pouco mais do seu passado.



História


Sua construção original se deu em taipa no ano de 1630, após a tomada holandesa das cidades de Olinda e Recife. Recebeu o nome do Príncipe de Orange Frederik Hendrik, tio de Maurício de Nassau, f
oi o último abrigo holandês na tomada de Recife e Olinda em 1654 e onde eles se renderam às tropas de Francisco Barreto de MenezesO seu propósito era proteger as cacimbas de Ambrósio Machado, as únicas fontes de água potável do Recife na época (por este motivo foi denominado Forte das Cacimbas), e evitar que barcos inimigos penetrassem pelo Rio Capibaribe. 

Seu formato de quatro pontas e material atuais são originários da sua reconstrução Portuguesa de 1667, obra do engenheiro militar Francisco Correia Pinto.
Ficou conhecido também como Forte de São Tiago devido à capela dedicada a São Tiago Maior que havia em seu interior.

Tem também um passado relevante como prisão, pois foi aqui que ficou o líder da Guerra dos Mascates (1710), Bernardo Vieira de Melo, até sua deportação para Portugal
Foi também nas suas proximidades que foi fuzilado em 1825 o herói Frei Caneca (os carrascos se recusaram a enforcá-lo), líder da Confederação do Equador (1824). Estas foram duas das inúmeras revoltas que muito orgulham o combativo povo do Estado. Há uma placa em homenagem ao mártir no local de seu fuzilamento, hoje Praça Frei Caneca, bem atrás do forte.


Destaques

O maior destaque do Forte é sem dúvidas percorrer o alto das suas muralhas. Como já mencionamos anteriormente, são quatro baluartes:


Nordeste: Exibe a bandeira da Cidade do Recife e é voltado para a subida do viaduto das cinco pontas.


Sudeste: Voltado para a Av.Sul e para o viaduto propriamente dito. Há um projeto da Prefeitura que prevê a demolição do viaduto, o que vai limpar a vista do Forte de fora para dentro e vice-versa.


Sudoeste: A praça Frei Caneca onde o mártir foi fuzilado fica bem do outro lado da rua.

Noroeste: Este lado do forte está voltado para as ruas do comércio popular do Recife. A entrada do Forte fica entre ele e o baluarte nordeste.



Outro destaque do Forte é a sua Plaza D'Armas. É o centro do Forte e interliga os quatro baluartes à sua área interna.



Ainda na Plaza D'Armas, do lado contrário à entrada do Forte, há o curioso túnel de fuga.



Desde 1982 o Forte é a sede do Museu da Cidade do Recife
O museu ocupa o primeiro pavimento do Forte, mas infelizmente apenas uma mostra muito pequena do seu patrimônio está visível para o público.



Seu acervo possui artefatos dos séculos 17 a 20, além de peças das edificações demolidas no início do século 20 para construção da Av. Dantas Barreto, com destaque para a Igreja do Senhor Bom Jesus dos Martírios.




Um dos seus maiores destaques é a quantidade de mapas e gravuras que retratam a história da cidade desde sua fundação.


Há ainda obras de Franz Post, pintor holandês que acompanhava Maurício de Nassau nas suas viagens e um dos principais responsáveis por nos mostrar como eram nossas paisagens na época colonial.


Informações úteis

Endereço: Praça das Cinco Pontas, bairro de São José

Referência: O Forte fica ao lado do viaduto de mesmo nome, bem próximo à antiga estação rodoviária do Cais de Santa Rita.
Telefone: 81 3355-3106
Horário de Funcionamento: terça a sexta das 09h00 às 17h00 / sábado e domingo das 13h00 às 17h00. 
Preço: Grátis.



#Fortedascincopontas #Recife 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...