terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Manual básico da Serra Gaúcha

Quando decidimos viajar pela 3a. vez para a Serra Gaúcha bateu aquela dúvida: vale à pena voltar ou não? Pois valeu demais! Se você ainda não conhece a região, então que tal incluí-la na sua próxima viagem?








Preparamos estas dicas para quem pretende viajar para Gramado, Canela, Bento Gonçalves e demais cidades que fazem parte da região. Esperamos que ajude na hora de planejar ou curtir sua viagem.




Como chegar

Nós optamos por alugar um carro para facilitar nossa locomoção. Não que seja essencial, mas dá muito mais mobilidade numa região tão repleta de atrações.

Desembarcamos no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Pegamos nosso veículo na agência e fomos direto para GramadoA distância entre as duas cidades é de 118 Km. 

A rota que escolhemos foi a seguinte: 
1. BR-116 até Novo Hamburgo;
2. RS-239 até Taquara;
3. RS-115 até Gramado.

Há dois pedágios entre as cidades de Novo Hamburgo e Gramado (total de R$11,15). 

Você pode optar por seguir na BR-116 depois de Novo Hamburgo, já que a distância é menor (97 Km), mas a estrada é bem mais movimentada. Não vale à pena. A RS-239 é nova e tem bem menos trânsito de caminhões.

Caso vá de carro, é importante saber que as vagas de estacionamento do centro de Gramado e Canela são pagas. Há guichês automáticos nas calçadas e são aceitos pagamentos em dinheiro ou cartão.

Pra quem preferir ir à Serra Gaúcha de ônibus, há um guichê de venda de passagens dentro do aeroporto e o embarque é bem próximo. Entretanto, fique atento ao horário, pois a última viagem sai às 20h15 (há mais um ônibus às 21h30 nas quintas, sextas e domingos). O desembarque é na rodoviária de Gramado (centro da cidade).


Gastronomia

Serra Gaúcha vive intensamente as tradições gaúchas, italianas e alemães, mas não se resume a isso. Sua gastronomia é um exemplo de tamanha riqueza cultural.

Pra começar, a Suíça está muito bem representada com suas fondues. São tantas as opções que fica até difícil de escolher. Mas, se você puder ($$$), nossa dica é não arriscar na qualidade e pagar um pouco mais caro, pois pra comer fondue genérica não precisa ir tão longe, não é? 

Dos restaurantes que conhecemos, sugerimos o top-top Belle du Valais em Gramado. Se preferir outro mais em conta sem abrir mão da qualidade, nós recebemos bons comentários do La chalet de la fondue, Maison de la FondueD'Alpes Verde Le Petit Clos.

Pra conferir os italianos, nossas indicações são o PastaciuttaCantina del Vicolo e o galeto da Casa di Paolo (com sopa de capeletti de entrada, é lógico).


Se sua preferência for pela gastronomia alemã, sugerimos o Colina Verde em Nova Petrópolis. O restaurante mistura as culturas alemã, italiana e gaúcha (com ênfase na alemã). Vá com disposição, pois é impossível dar conta da fartura. É pra comer rezando!



Pra quem quiser comer o legítimo churrasco gaúcho e curtir um animado (e turístico) espetáculo com danças tradicionais, nossa dica é o Garfo & Bombacha em Canela. É caro, mas a diversão e a comilança são garantidas.

A região de Bento Gonçalves oferece surpresas maravilhosas para quem curte boa comida. Nosso achado da vez foi o Valle Rustico na Estrada do Sabor, em Garibaldi. Quase que a totalidade da matéria-prima do restaurante é da região, valorizando os produtores locais. Eles também utilizam basicamente produtos de origem orgânica. É essencial reservar com antecedência.



Entrando no quesito guloseimas, não dá pra visitar Gramado sem provar as delícias da Casa da Velha Bruxa. Esqueça o regime e se esbalde nos crepes, waffles e sorvetes.

Vamos aos chocolates?

Dentre as grandes fábricas de Gramado, a Caracol produz um chocolate mais doce que agrada muito as crianças, mas um pouco enjoado para quem gosta de chocolate amargo (como nós). 

Lugano tem chocolates mais variados, uma ótima patisserie com bebidas e sobremesas à base de chocolate (é claro) e uma loja bem diversa.



Pra terminar, a Prawer é pra quem gosta de chocolate mais gourmet, com receitas diferenciadas (e mais caras). Eles têm também um café delicioso.


Compras

A grande dica de pechincha na Serra Gaúcha são os sítios de compras coletivas. Você pode encontrar desde restaurantes a museus e parques com descontos incríveis. Não deixe de navegar no Laçador de OfertasTchê Ofertas e Peixe UrbanoOs sítios Compra de Ingressos e Bela Viagem também vendem entradas antecipadas para diversas atrações por um preço mais em conta.

A região é muito propícia para comprar artigos em couro. Uma boa indicação é a Gauchinha Couros em Nova Petrópolis. A variedade e a qualidade são incríveis, e os preços são bem mais em conta que os das lojas de Gramado. Aproveite que você está na cidade pra fazer umas comprinhas de roupas de frio

A indústria de calçados também é forte na região, tanto femininos como masculinos. ArezzoLuz da Lua, Usaflex e Confortflex estão presentes, para o delírio do público feminino.

Há um grande outlet de marcas famosas em Novo Hamburgo às margens da BR-116: o I Fashion Outlet Novo Hamburgo. A variedade de lojas é excelente. Vale dar uma paradinha pra conferir.

Em Carlos Barbosa, o destaque é a fábrica da Tramontina. Obviamente nem tudo é pechincha, mas dá pra encontrar muita coisa bem mais barata do que no resto do país.

Ah, cuidado com o excesso de bagagem!


Vinhos

Confessamos que tínhamos um certo preconceito com vinhos nacionais até nossa última viagem para a Serra Gaúcha. Nós já conhecíamos a boa qualidade dos espumantes produzidos no Vale do Rio São Francisco, mas ainda não sabíamos o quanto a produção vinícola tinha evoluído no sul do país. Foi uma grata surpresa.

Apesar da oferta de passeios ser bem ampla em Gramado, para explorar bem as vinícolas da região, o ideal é que se hospede em Bento Gonçalves ou nas cidades mais próximas.

Essa é para quem gosta de desacelerar a vida: a Miolo oferece um wine garden bem legal nas tardes dos finais de semana e feriados. Dá pra curtir uma boa preguiça nos jardins da vinícola enquanto experimenta os quitutes regados a vinhos e espumantes. 

Por falar neles, a melhor opção pra quem gosta dos espumantes é a visitação da Chandon. Agende com antecedência.


Onde ficar

Nós optamos por Gramado como base para nossa viagem pela Serra Gaúcha. Embora seja mais cara, a cidade oferece a maior quantidade de hotéis, restaurantes e atrações da região. Escolhemos a cidade onde pretendíamos passar mais tempo. A quantidade de opções de hospedagem também é bem variada, tanto em preço quanto no tipo. Quer sugestão? Então veja nossa publicação 10 dicas de hotéis em Gramado, Serra Gaúcha.

Ficamos muito satisfeitos com nossa hospedagem no Sky Serra Hotel. O hotel não fica no centro da cidade, mas a distância não compromete (1,5 Km até a Igreja de São Pedro). Foi recentemente construído e tem uma ambientação maravilhosa: o hall de entrada parece a sala de uma casa, com lareira e sofás em couro. Os quartos são novos e bem equipados, apesar de pequenos, e o banheiro é de bom tamanho. O café-da-manhã é um caso à parte: é simplesmente excepcional, com tudo o que a Serra Gaúcha oferece, como ótima variedade de frutas, tortas e doces.

Pra quem quiser gastar menos com hotéis e restaurantes, uma boa opção é ficar em Canela. Além de mais barata que sua vizinha, ela fica mais perto do Parque do Caracol, Alpen Park e Florybal. A distância para Gramado é mínima (menos de 9 Km).

Mais alinhada com a cultura italiana, Bento Gonçalves é a melhor opção para conhecer as vinícolas da região. A gastronomia por aqui também é top!

Booking.com


Nós não recebemos qualquer tipo de benefício para indicar os estabelecimentos comerciais mencionados nesta publicação. Todas as dicas foram consequência da nossa experiência de viagem. Somos comissionados pelo Booking pelas reservas feitas a partir dos nossos links.



#borapralacomigo #serragaucha #gramado #canela #bentogonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...