domingo, 3 de agosto de 2014

Santiago do Chile

Publicamos recentemente dicas gerais de vários lugares que visitamos na nossa última viagem pela América do Sul e confesso que já estamos com saudades de contar o que conhecemos e o que fizemos em cada um deles.

O propósito em priorizar as dicas foi permitir que quem estava saindo de férias em julho pudesse aproveitar nossas recomendações, em especial as de Santiago do Chile (ou Santiago de Chile, como dizem os de língua espanhola), considerando que ela é um dos principais destinos do continente.


Hoje vamos voltar a mostrar para vocês o roteiro que fizemos nesta que é uma das capitais mais vibrantes da América do Sul e cada vez mais amistosa e receptiva para nós brasileiros.


Ainda não reservou seu hotel? Temos 10 dicas de hotéis pra você.


Dicas

Confira nossas dicas gerais para quem vai viajar para Santiago do Chile no post especial que fizemos contando um pouco de história e cultura, quando ir, onde ficarquanto tempo ficar, com ou sem guia de turismodinheirovistos, vacinas e saúdecompras, gastronomia e vida noturna, vinhostransporte e segurança.

Booking.com


Atrações

Para facilitar o planejamento dos nossos leitores que pretendem ir para lá, dividimos nosso roteiro em regiões.



El Centro

Constitui o núcleo social da cidade e sua parte mais antiga e movimentada. Seus paseos abrigam inúmeras lojas e restaurantes baratos, como também seus principais prédios governamentais e consequentemente seu centro cívico.

Em formato de uma cunha, é delimitada por três fronteiras: o Rio Mapocho, a via expressa Autopista Central e a Alameda, também conhecida como Av. O'Higgins.

Várias construções foram destruídas por terremotos e incêndios com o passar dos anos. O que resta é em sua maioria construções a partir do século XVIII convivendo meio desordenadamente entre prédios modernos.

Dividimos a região em duas, uma com as atrações próximas à Plaza de Armas e a outra com as atrações próximas ao Palacio La Moneda.


Plaza de Armas

É talvez o maior símbolo da cidade. Foi projetada de acordo com a tradição espanhola de reservar um espaço para desfiles. Seu centro possui uma fonte em homenagem ao libertador Simon Bolívar no lugar onde havia uma forca durante o domínio espanhol.

A região abrigava na época colonial vários prédios governamentais, mas transformou-se a partir do século XVII numa região comercial. 

Infelizmente não demos sorte e nos deparamos com a praça interditada para obras de melhoria do centro da cidade, o que não nos impediu de visitar suas principais atrações.




Catedral Metropolitana

Construída entre 1748 e 1800, é a quinta igreja construída no local (suas anteriores foram destruídas por terremotos). É considerada a mais importante do país e abriga a Diocese de Santiago.

Observe a grandiosidade de suas três naves. 



À direita há uma urna com os corações dos heróis da Guerra do Pacífico e à esquerda está a Iglesia de Sagrario, onde foi construída a primeira igreja do país.


Correo Central

O prédio acomodou o fundador da cidade, Pedro de Valdívia, Conselho de Governo e residência presidencial. Foi parcialmente destruído em 1881. 



Atualmente abriga também um museu postal em seu primeiro andar. 


Museo Histórico Nacional (Palacio de la Real Audiencia)

O prédio erguido entre 1804 e 1808 já abrigou a Suprema Corte de Justicia e o Congresso Nacional antes da Independência, foi local de trabalho do seu primeiro presidente, Bernardo O'Higgins e sede da Prefeitura e Correios.



Atualmente abriga o Museu Histórico Nacional e seu acervo cobre desde a época pré-colombiana até a revolução militar de 1973 (não deixe de ver o óculos que Salvador Allende usava no momento de sua morte).

É uma das visitas obrigatórias da cidade.



Não cobra entrada, mas pede uma pequena doação de CLP200 (US$0.37) se você quiser ficar com o mapa do museu de lembrança.


Municipalidad de Santiago

O edifício que abriga atualmente a Prefeitura de Santiago foi fundado em 1548 para ser a sede do cabildo, a administração municipal da época colonial, e funcionou também como prisão. Foi danificado por diversos terremotos.



Não são permitidas visitas ao seu interior.


Casa Colorada (Museo de Santiago)

O belo edifício construído em 1770 é um dos poucos que sobreviveram aos inúmeros terremotos sofridos pela cidade (apenas metade da fachada é original).




Abriga o importante Museu de Santiago que conta a história da cidade desde o período colonial até a independência. Infelizmente ele está fechado para reforma.


Paseos Ahumada e Huérfanos

A região passou por uma reforma em 1977 que tornou a área fechada para trânsito de automóveis e acabou a transformando numa agradável área de passeio repleta de lojas e restaurantes (baratos).

Um destaque pitoresco são os cafés con piernas. Entre os olhares de estranheza das garçonetes (todas com mini-saias e meias espessas) e dos clientes (alguns poucos homens de meia idade) do Café Haiti, procuramos sem sucesso um banheiro feminino. Será que em pleno século XXI ainda só é frequentado por homens? Ah, o capuccino não é bom, mas acho que os seus clientes não vão lá para isso mesmo...


Museo Chileno de Arte Pre-colombino

Inaugurado em 1981 e instalado no Palacio Real de la Aduana, antiga Alfândega, é o melhor museu de Santiago. 

Todo o museu é dedicado à arte e cultura dos povos pré-colombianos.

Um dos seus artefatos mais surpreendentes é a múmia chinchorro. Este povo vivia no norte do Chile e praticava a mumificação cerca de 2.000 anos antes dos egípcios. 



O valor da entrada é de CLP7.000 (US$12.84).


Ex-Congreso Nacional

O prédio concluído em 1876 foi tombado como patrimônio histórico em 1976. Abrigava o Congresso até o golpe militar de 1973.

Atualmente abriga o Senado e a Câmara dos Deputados. Seus belos jardins são abertos para o público.



A estátua da Virgem foi erguida em homenagem aos 2.000 mortos do incêndio de 1863.


Palacio de los Tribunales de Justicia

O local onde funciona a Suprema Corte chilena é uma joia arquitetônica e foi projetado em estilo neoclássico francês. 


Palacio La Moneda

O prédio construído pelos espanhóis para abrigar a casa onde o dinheiro era cunhado, a casa de la moneda, foi inaugurado em 1805, abrigou a administração pública a partir de 1846 e a residência presidencial a partir de 1958.


Ele representa um dos momentos mais marcantes da história do país quando em 1973 os tanques sob comando do ditador Augusto Pinochet o invadiram, culminando com a morte do Presidente Salvador Allende.

Os visitantes podem ver a troca da guarda diariamente às 10h00.



Paseo y Plaza Bulnes

A bela esplanada ocupa seis quarteirões e vai do Palacio La Moneda até a Plaza Bulnes, costumeiro local das comemorações militares durante a ditadura e das manifestações após a volta da democracia.


A Plaza exibe uma cripta com os restos mortais do libertador Bernardo O'Higgins


Palacio Cousiño

O Palácio erguido entre 1870 e 1878 exibe toda a opulência da elite santiaguina do século XIX. 

Construído pela família Cousiño-Goyenechea após acumularem enorme fortuna com a fabricação de vinhos e exploração de cobre e prata, exibe pisos de nogueira e mogno, tapeçarias, cortinas francesas bordadas, além do primeiro elevador do país. Foi arrematada num leilão e doada à prefeitura em 1940. 

Infelizmente está em reformas depois dos danos sofridos pelo terremoto de 2010.



Club de la Unión

Esta joia arquitetônica construída entre 1917 e 1925 em estilo neoclássico francês abriga amplas salas de jantar, lindas paredes de mármore, móveis antigos e candelabros de cristal.

Aceitava apenas homens até 2006.


Bolsa de Comercio

O edifício sede da bolsa de valores chilena foi erguido em 1917 e fica no meio do centro financeiro da cidade, conhecido como La City.

Para visitar o interior do prédio é necessária apresentação de identificação.


Igreja y Convento de San Francisco

Este patrimônio nacional é uma das construções mais antigas de Santiago. Exceto os seus campanários, todo o prédio sobreviveu aos diversos terremotos sofridos pela cidade.

Exibe detalhes das diferentes épocas, desde a construção da capela encomendada por Pedro de Valdívia no século XVI para abrigar a Virgen del Socorro, como forma de proteção. É o prédio colonial remanescente mais antigo de Santiago.

O Salon Gabriela Mistral exibe a medalha Nobel da famosa escritora chilena.


Biblioteca Nacional 

O belo edifício construído entre 1914 e 1927 em estilo francês exibe escadarias de mármore, murais e entalhes diversos. Possui o acervo de obras coloniais mais importante da América Larina.

Não perca a surpreendente Sala Medina. Estudiosos estimam que 60% do que foi impresso no período colonial pertença a ela.




Cerro Santa Lucia

A colina que funcionou como ponto de defesa de Pedro de Valdivia após a fundação da cidade foi transformado num belo e rico parque em 1871 pelo prefeito Benjamin Vicuña (seus restos mortais se encontram na Capella de la Ermida). Após a sua conquista dos mapuches pelos espanhóis, recebeu dos índios o nome de Huélen, que significa dor ou tristeza.


Um de seus destaques é o Castillo Hidalgo, erguido durante a guerra de independência. Vale a subida até a Torre Mirador. Até Charles Darwin se impressionou com a vista na sua visita em 1833.

Seu principal acesso é pela Av. Alameda ou pela rua de pedras que sai da Calle AgustinasHá um elevador de funcionamento incerto na Calle Huérfanos.


Mercado Central

Fica localizado num belo prédio erguido em 1872 para a Exposição Nacional do Chile às margens do Rio Mapocho. Sua estrutura de metal foi importada da Escócia e exibe balaústres entrelaçados e as imagens de duas mulheres representando a paz e a agricultura.



Hoje é um dos lugares mais pitorescos e conhecidos de Santiago, famoso principalmente pelos restaurantes de frutos do mar.


Parque Metropolitano

O parque ocupa uma grande área de vegetação nativa e outras trazidas de todo o Chile. Foi construído entre 1903 e 1927, é o maior centro de lazer da cidade e é considerado o seu pulmão. Daqui temos a vista mais ampla da cidade até os Andes.



Ainda na parte alta do parque, mas um pouco mais afastado do Cerro San Cristobal, você encontra o Jardín Botánico, o Jardín Japonés e duas grandes piscinas públicas, a Antilén e a Tupahue.


Cerro San Cristobal

É onde fica a imagem de 14 m. da Virgem de la Immaculada Concepción doada pela França em 1904 e que pode ser vista de quase todo o parque. A subida até a imagem é um templo a céu aberto e bastante agradável para uma providencial paradinha para descanso.


A subida pode ser feita pelo funicular que sai da extremidade norte da Pio Nono na Plaza Caupólican (bairro Bella Vista) ou pelo teleférico que sai da estación Oasis (bairro Providencia).

Logo na saída do funicular, pode-se comprar artesanato e outras lembranças do Chile na Terraza Bellavista, além de fazer um lanche ou tomar uma água.



Se pretende ir no final de semana e não quer pegar fila na subida, a dica é ir antes das 10h00. Fica bastante cheio principalmente aos domingos. 

A passagem de ida e volta de funicular com parada no Zoológico custa CLP2.700 (US$4.95).


Zoológico

O Zoológico não é grande, mas é interessante e vale uma parada principalmente para quem tem crianças.



Quando você comprar seu ingresso do funicular vão te perguntar se é com parada do zoológico. Diga que sim. O chato é que ele para apenas na subida, então saiba que depois de passear pelo zoológico (no sentido da descida do cerro) você terá de subir tudo de novo por dentro dele para chegar novamente à parada do funicular onde você entrou no parque.



Outra opção é entrar por baixo na Pio Nono e pegar o funicular para o Cerro San Cristobal no meio do caminho.

A entrada custa CLP3.000 (US$5.50).


Casa Museo La Chascona

Aqui foi o refúgio de Pablo Neruda quando ele queria passar o tempo com sua amante Matilde Urrutia. Seu nome, La chascona, é em homenagem a Matilde e teve como inspiração seus longos cabelos ruivos. A casa também é a sede da Fundación que leva o nome do poeta chileno.



Durante a revolução de 1973 a casa sofreu vandalismo por parte dos partidários de Pinochet. Seus diques foram bloqueados e a casa foi inundada por um mar de lama.

Não entendi o por quê, mas é proibido tirar fotos do interior de todas as casas de Neruda. É uma pena.

A casa fica bem pertinho da subida de funicular do Cerro San Cristobal e do Patio Bella Vista.



Observe que a paixão de Neruda pelo mar fica explícita até da sala de estar construída em formato de barco.

Cobra CLP8.000 (US$14.68) de entrada.


Bella Vista

O boêmio e revitalizado bairro tem como seu maior representante o Patio que leva seu nome. Inúmeros restaurantes, espetáculos noturnos e lojas de suvenires o tornam um dos melhores lugares para visitar principalmente à noite.



Não deixe também de caminhar pela Calle Conceptión se quer escolher um cantinho para curtir a noite.

Temos mais informações sobre o bairro no post de dicas gerais.


Outras atrações

Santiago do Chile é uma metrópole cheia de atrações e não é fácil conhecê-las de uma só vez. Dentre as que não visitamos durante nossa última viagem, destacamos:

El Centro

Centro Cultural Estación Mapocho, Teatro Municipal, Museu de Artes Visuales, Museu Arqueológico de Santiago, Museu Nacional de Bellas Artes e o Parque Quinta Normal com vários museus interessantes nas proximidades.

Providencia, Las Condes e Vitacura

Barrio El Golf, Club Hípico, Parque de las esculturas, Museu de la moda e o Parque Bicentenário.


Vinícolas


Escrevemos um post especial sobre o Valle de Casablanca onde dizemos tudo que você precisa para fugir do óbvio e conhecer uma das regiões mais bonitas do país.


Temos também mais informações sobre vinhos chilenos no post de dicas gerais.


Valle Nevado

Não tivemos a oportunidade de esquiar no Valle Nevado na nossa última viagem (fomos em maio), mas avaliamos se valem à pena os passeios de meio dia. Veja como foi na publicação que fizemos.





Acompanhe outras publicações da nossa viagem pelo ChileColômbia e Peru.



#Chile #SantiagodoChile #Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...