sábado, 5 de julho de 2014

Cuzco e Vale Sagrado, Peru - Dicas gerais

Desembarcamos na cidade de Cuzco no Peru com aquele friozinho na barriga de quem está prestes a viver um momento importante, e a Capital do Império Inca não nos decepcionou.




É importante dizer que a região não fica restrita a Cuzco, como algumas agências de turismo podem induzir. Surpresas maiores estão guardadas no estonteante Vale Sagrado, a região do vale do Rio Urubamba.

Começamos nossos posts sobre esta que é uma das regiões mais turísticas do mundo trazendo para vocês dicas importantíssimas para quem vai visitá-la. Posteriormente escreveremos mais detalhadamente sobre cada lugar.




Um pouco de história e cultura

"QOSCO" é a palavra original que designa a Capital do Império Inca, ou "umbigo do mundo" em quéchua, a língua Inca que tanto orgulha o povo peruano. Com a chegada dos conquistadores espanhóis, virou Cuzco.

A cidade foi construída pelo Imperador Pachacútec em forma de Puma, onde Sacsaywaman é a cabeça (era lá que morava a elite do Império), o Palácio Wiracocha (onde hoje fica a Catedral) é o coração e Qoricancha, ou Templo do Sol, os órgãos sexuais.

Eles tinham um misticismo religioso muito forte, inclusive com sacrifício de animais, crianças e mulheres virgens, tidas como puras. Vale ressaltar que elas era preparadas durante toda a vida para serem sacrificadas e isto era considerado uma honra, pois iriam para perto dos deuses.

Na simbologia Inca, três animais representam os planos que eles acreditavam existir:

1. O condor ("hanan pacha"): simboliza o mundo superior, ou plano espiritual, onde os deuses vivem. É o mensageiro entre o céu e a terra e responsável por levar para o céu em suas asas as almas das pessoas mortas;
2. O puma ("kay pacha"): representa o mundo físico onde vivemos, a força e poder da terra; 
3. A serpente ("uqhu pacha"): representa o mundo inferior e o início da vida. Algumas culturas acreditam também que ela representa a sabedoria.

Entre as grandes lições que aprendemos com os Incas, destacamos:

1. Todos os membros da sociedade tinham a sua função;
2. Os Incas não destruíam a cultura dos povos conquistados, aprendiam com ela;
3. A natureza era muito respeitada e preservada. Pachamama, ou mãe-terra, era tida como provedora de todas as riquezas.
4. No auge do império no século XV, eles já plantavam e colhiam de acordo com as estações do ano;
5. Grandes estudiosos da natureza e da astronomia, faziam experimentos agrícolas diversos. Não era por acaso que não havia fome entre eles.

Fico me perguntando se a história da América do Sul seria a mesma se os filhos de Huayna Cápac (Atahualpa e Huáscar) não estivessem em guerra quando Pizarro e seu bando desembarcou no Peru. Triste fim de uma civilização tão rica.


Onde ficar

Cuzco é sem dúvida o melhor lugar ficar para quem vai para a região. A cidade é bem estruturada, respira turismo e fica num ponto mais ou menos equidistante dos principais sítios arqueológicos. 

Se possível, procure ficar na proximidade da Plaza de Armas, principal ponto de referência da cidade. Porém, evite a rua do Museo Inka (Cuesta del Almirante), pois tem uma ladeira bem íngreme.

Nós ficamos hospedados no Taypikala Hotel Cusco e nossa reserva foi feita através do nosso parceiro BookingQuando escrevemos este post ele tinha nota 8,3 e a avaliação da nossa estada foi de 8,8. Esta é uma das melhores avaliações hoteleira que já fizemos.

Embora com decoração modesta, o hotel prima pela atenção e delicadeza da equipe, café-da-manhã variadíssimo até para os padrões brasileiros, e quarto amplo e confortável. Fica localizado bem próximo ao Qorikancha, um dos principais sítios arqueológicos da cidade.


Quanto tempo ficar

Para ter um panorama legal da região, são necessários dias em Cuzco mais 3 dias nVale SagradoSe vai também para Machu Picchu, eu não faria um bate-e-volta de um dia. Faça como nós e durma uma noite em Águas Calientes. Reserve mais 2 dias.

Portanto, se eu fosse você não ficaria menos de 7 dias na região.

Recomendamos também que deixe Machu Picchu para o final, assim você entenderá melhor a história do lugar e a dimensão do que ela significou para o Império Inca.


Quando ir

Não indicamos viajar entre os meses de dezembro e março, pois as chuvas de verão são muito rigorosas na região, inclusive com ocorrências de fechamento da via férrea para Machu Picchu

Entre os meses de junho e agosto, principalmente nas semanas próximas a 24/6 quando é festejado o Inti Raymi, a festa em homenagem ao Sol, fica tudo muito cheio de turistas. Se não tem opção, compre os ingressos com antecedência, principalmente o trem para Machu Picchu.

O melhor mesmo é ir entre os meses de abril a maio, e de setembro a novembro.


Dinheiro

Veja o post que fizemos sobre Lima e terá um monte de dicas úteis sobre dinheiro que servem perfeitamente para Cuzco e o Vale Sagrado.

Se precisar trocar dinheiro em Cuzco, um ótimo lugar é a av. El Sol, bem pertinho da Plaza de Armas. Conseguimos câmbio de S/2.77 para cada US$1.00.

Há também várias opções de bancos e caixas para quem desejar sacar dinheiro em moeda local diretamente da conta corrente no seu país. 



Obs.: Alertamos que todas as cotações aqui informadas são pertinentes a março/2014, portanto é importante que o leitor verifique novamente na data de sua viagem.


Vistos, vacinas e saúde

Veja o post que fizemos sobre Lima e terá um monte de dicas úteis sobre saúde que servem perfeitamente para Cuzco e o Vale Sagrado.

Por azar tive a infelicidade de pegar uma infecção intestinal com um ceviche estragado em Cuzco. Não vou citar o restaurante para não correr risco de injustiça, mas aqui vale a regra: todo cuidado com alimentação, inclusive água, no Peru é bem-vindo. 

Entretanto, a maior ameaça à sua saúde é mesmo o soroche, ou mal de altitude. Lembre-se que você estará a mais de 3.500 metros de altitude, então a dica é mesmo descansar e não cometer exageros pelo menos no primeiro dia que chegar à cidade. 

É importante também acabar com o preconceito e tomar sem moderação o chá de coca, afinal ele não é droga e não tem nada a ver com os derivados maliciosos da folha. Mascá-la também é muito indicado e traz resultados até mais rápidos que o chá. Só não exagere à noite, senão terá dificuldades para dormir.


Compras

Em Cuzco há o ótimo Centro Artesanal Cuzco no cruzamento das av. El Sol com a Tullumayo, bem perto do centro. Se você quer comprar roupas e artigos , Cuzco também é o lugar. Vale dizer que artigos de Vicunha são proibidos por leis de proteção à espécie. Infelizmente ela está sob risco de extinção.

Pisac é o lugar para comprar artigos em prata e pedras preciosas. A feira acontece oficialmente aos domingos (a maior e mais movimentada), terças-feiras e quintas-feiras, mas está se espalhando pelos demais dias. Os seus melhores preços são à tarde, próximo ao encerramento da feira. 

Mas, se pretende comprar artesanato e roupas, não se engane com o tamanho da feira de Pisac, pois é bem possível que você encontre preços melhores em Cuzco mesmo. Não precisa nem dizer que compras perto da Plaza de Armas de Cuzco tem preços turísticos, ou seja, mais caros.

Como vivemos num mundo globalizado, o Peru também foi invadido por produtos de qualidade duvidosa feitos no oriente. A dica para se livrar deles é não comprar nada que pareça saído de uma linha de produção (tudo igualzinho) e, em relação às roupas de lã, queira distância daquelas com cores berrantes, pois elas são na maioria feitas de fios sintéticos.

Lembro que aqui negociação vale acima de tudo. Portanto, nunca compre pelo primeiro preço que te oferecerem.


Com ou sem guia de turismo


Se você é como nós e quer mergulhar na Cultura dos povos pré-colombianos, você vai precisar de apoio. Nós seguimos a dica da turma do Sunday Cooks e contratamos a agência Discover Peru Now. Contamos com a simpatia da Isabel que nos atendeu atenciosamente desde o primeiro contato por e-mail.

Fechamos com eles a seguinte programação: 
Dia 1: Tipon, Pikillacta e Andahuaylillas
Dia 2: Sacsaywaman, Pisac e Ollantaytambo
Dia 3: Chinchero, Moray e Salinas de Mara

O pacote incluiu também o transfer de ida e volta para a estação de Poroy (de onde sai o trem para Machu Picchu), e guias exclusivos em Português nos três dias do Vale Sagrado (guias Willy e Nadia, e o motorista Juan), e mais meio dia em Machu Picchu (guia Cesar). 

A Isabel nos solicitou que fizéssemos o pagamento antecipado de 60%. Pagamos via Western Union com bastante facilidade e rapidez, porém com sobretaxa por nossa conta de 7,32% sobre o valor da transação.

Não foram incluídas as entradas das atrações nem tão pouco as refeições. É de praxe que os passageiros paguem também o almoço do guia e do motorista por fora do pacote. Esclareça isso quando fechar com a agência.

Custo total: US$195.00 por pessoa.


Ingressos

Exceto as Igrejas, as principais atrações de Cuzco e sítios arqueológicos do Vale Sagrado estão cobertas pelo Boleto Turístico. Compre antecipadamente na agência de turismo da Cosituc (av. El Sol, 103). Custo: S/130.00 (US$46,93) com validade de 10 dias.

Aqui do Brasil ouvimos falar que havia também um Boleto Religioso, mas não conseguimos comprá-lo em nenhum lugar.

Se vai para Machu Picchu, são 2.500 ingressos por dia. A desafiadora Huayna Picchu está limitada a 400 visitantes por dia. As trilhas incas devem ser reservadas com pelo menos 3 meses de antecedência. Veja mais detalhes no post de dicas de Machu Picchu


Transporte

Chegando ao aeroporto de Cuzco, há bastante disponibilidade de transporte. Como éramos em quatro e tínhamos muita bagagem, contratamos um transfer no próprio aeroporto por S/30,00 (US$10.75).


Não é necessário transporte para as principais atrações de Cuzco, mas se precisar há bastante disponibilidade de ônibus e táxis.

Recomendamos o Juan Ferro Davalos da empresa Servicios de Transporte Turistico ELOHIN (fone 950 759474 e celular 984 953453) que nos levou com muita simpatia por todo o Vale Sagrado, além dos transfers para a estação de Poroy e para o aeroporto. Ele trabalha em parceria com a Discover Peru Now. 


Segurança

Fique tranquilo quando passar pela região que ela é uma das mais seguras do país. Cuzco está preparada para o turismo e zela muito para que todos tenham uma ótima imagem durante sua estada.

A única ressalva é em relação aos táxis. Para sua segurança, recomendamos usar as centrais ou cooperativas ao invés de pegar qualquer um na rua.



Acompanhe as publicações da nossa viagem pelo ChileColômbia e Peru na página resumo.

Para viajar para o Peru, tivemos como companheiros fiéis o Guia Lonely Planet Peru, o Eyewitness Travel Peru e a Revista Viagem e Turismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...