domingo, 10 de agosto de 2014

Cartagena das Índias, Colômbia - Dicas gerais

Depois de escrevermos sobre Santiago do Chile, voltamos para a Colômbia para contar para vocês como foi nossa passagem por uma das jóias mais bem preservadas da América do Sul: Cartagena das Índias. 


Cartagena ainda tem de quebra a sua localização na costa do Mar do Caribe. Então é praia, história e balada, tudo num só lugar!





Veja também o roteiro detalhado do que fizemos em Cartagena das Índias.


Um pouco de história e cultura

Patrimônio declarado pela UNESCO, Cartagenas das Índias soube manter preservada sua impressionante muralha de 13 Km., seu casario colonial e o maior forte construído pela Espanha fora do seu território, o Castillo de San Felipe de Barajas. Mantém até os dias de hoje um ambiente onde parece que o tempo não passou, seja nas cores das palenqueras (as típicas vendedoras de frutas), como nas suas carruagens e museus.


Sua fundação se deu em 1533 por Pedro de Heredia e a cidade crescia bastante até que o incêndio de 1552 destruiu um grande número das habitações feitas de madeira. Desde esta época só são permitidas construções de pedra, tijolo e telha.

A cidade se tornou uma das principais portas de saída dos tesouros obtidos pela Espanha em suas colônias. Como não poderia ser diferente, tornou-se também alvo de piratas e outros bandidos da época. O mais famoso deles, Sir Francis Drake, só deixou a cidade após um sítio de 6 semanas com o pagamento de um pesado resgate em ouro.

Foi depois de tantos ataques que a Espanha resolveu cercá-la de proteções contra ataques marítimos e terrestres (o forte de San Felipe é voltado para o lado contrário à cidade).

Um dos seus marcos mais sombrios é o fato de também ter sido um dos portos que mais escravos receberam. Foram cerca de 1,5 milhão. Comparativamente o Brasil inteiro recebeu 5 milhões.

Cartagena foi também a primeira a se declarar independente da Espanha em 1810, mas isto lhe custou a vida de mais de 6.000 habitantes durante o cerco de quatro meses imposto pelo império. Fome e doenças diversas tomaram conta da cidade murada.

Merecidamente Simon Bolívar deu-lhe o nome de La Heróica após sua libertação definitiva em 1819.


Quando ir

Localizada na costa do Mar do Caribe, não há restrição de época do ano para ir para Cartagena, pois as temperaturas não mudam muito. Porém, em relação às chuvas, o mês de outubro é o mês com a maior média e pode ser evitado.

Nós fomos no mês de maio e tínhamos uma expectativa de muita chuva segundo as previsões de vários sítios de previsão meteorológica, mas, para nossa surpresa e alegria, não caiu uma gota sequer. 

Praticamente não chove entre os meses de janeiro e março, auge do verão, e a partir do final de dezembro as praias atingem o auge da sua beleza.

Se você pretende visitá-la no Carnaval, considere a possibilidade de conhecer Barranquilla, a cerca de 135 Km. Seu carnaval multicolorido é um dos mais famosos do continente, embora a cidade não tenha atrações fora desta época.


Quanto tempo ficar

Saber quanto tempo ficar em Cartagena das Índias passa obrigatoriamente pela decisão de ir ou não a San Andrés às Islas del Rosario

Isla de San Andrés fica no meio do Caribe (não deixe de ir se puder!) e você precisará de no mínimo dois dias, visto que fica a uma hora e meia de avião em voo direto (quando esta publicação foi escrita a única opção era pela Copa, pois as demais faziam conexão em Bogotá totalizando mais de 5 horas).

A visita às Islas del Rosario é feita em um dia inteiro para cada ilha (cerca de uma hora em lancha rápida), incluindo a visita ao Oceanário (pequeno, mas divertido) ou mergulho de Snorkel. Cada ilha tem características distintas, como areia mais abundante, água mais transparente, etc.

Daremos mais detalhes sobre as características de cada uma na publicação seguinte.

Se você é mergulhador profissional, reserve um dia inteiro para não se frustar. Não dá para conciliar o tempo da visita às Islas del Rosario com o mergulho.

Apenas para a cidade de Cartagena, recomendamos pelo menos três dias

Em resumo, nossa sugestão é:
- Cartagena das Índias: 3 dias
- Mergulho: 1 dia
- Islas del Rosario: 1 dia (apenas para uma delas)
- Isla de San Andres: 2 dias (obrigatório passar pelo menos um dia inteiro)


Onde ficar

Se quer "sentir" a cidade em todo o esplendor, fique dentro da cidade murada, pois é nos bairros de San Diego e El Centro que a ela guarda as suas melhores atrações. Entretanto, os hotéis foram construídos em casas coloniais e arcam com todas as consequências disso, o que não impede estes bairros de possuírem alguns dos melhores e mais caros hotéis da cidade.

Historicamente El Centro era moradia dos mais abastados enquanto que San Diego abrigava os de classe média.

Outra localização recomendada por alguns guias de viagem é Getsemaní, mas, apesar de possuir alguns dos hotéis mais caros, nós não gostamos. Além de não nos sentirmos seguros para caminhar à noite devido a algumas edificações mal conservadas ou abandonadas, vários hotéis têm como vizinhos movimentadas baladas. Em resumo, os hotéis são caros e o bairro não tem a mesma magia e segurança de San Diego e El Centro.

Uma opção mais econômica a menos de 10 min. da Torre del Reloj (principal entrada da cidade murada) e onde você encontrará hotéis mais modernos é Bocagrande, conhecida como a Miami beach Colombiana pela quantidade e altura dos seus arranha-céus. Outra facilidade é a disponibilidade de restaurantes e lojas de souvenires. 

Pagamos COP6.000 (US$3.11) pelo trajeto de táxi do hotel até a entrada dos muros da cidade.

Confira 10 dicas de hotéis que preparamos separados por categoria e bairro.


Booking.com

Nós reservamos pelo Booking e ficamos no Hotel Blue Concept. Quando escrevemos esta publicação ele possuía nota 8,2 e nossa avaliação foi 7,1

Tivemos como destaques positivos a atenção da equipe, facilidade de fechar pacotes para passeios na recepção e a área da piscina bastante agradável. De negativo foram a pobreza do café-da-manhã, o quarto muito simples (um pouco mal acabado, embora novo e relativamente confortável) e a falta de elevador. Nosso quarto também ficou voltado para a piscina e por isso ouvíamos todo o barulho. O guarda volumes é na própria recepção (segurança vulnerável).


Se orçamento não é seu problema, fique em San Diego ou El Centro (não recomendamos ficar num hotel barato nestes bairros), mas não deixe de levar em consideração ficar em Bocagrande se quiser economizar um pouco sem abrir mão de um mínimo de conforto.

Não perca tempo nem se decepcione com a feiura das praias próximas à cidade. As melhores só são acessíveis de barco ou lancha rápida. 

Mesmo nelas, as praias não são compatíveis com as localizadas entre o sul de Pernambuco e norte de Alagoas, bem aqui no nordeste do Brasil. Se comparar com as de Fernando de Noronha aí já vira covardia, pois as de Noronha têm visibilidade de 25 metros enquanto as de lá têm visibilidade de "apenas" 8 a 10 metros.


Com ou sem guia de turismo

Cartagena é seguramente uma das cidades mais ricas de história do continente e você não irá desfrutar de todo o seu patrimônio cultural sem ajuda. Entretanto, evite contratar algum dos inúmeros falsos guias que irão te abordar pelas ruas (são muitos mesmo!).

Uma das coisas que mais nos incomodou foi o descaso de alguns profissionais com o patrimônio da cidade. Numa das vezes, um deles passou o dedo numa estátua de pedra calcária da Catedral para "mostrar" do que ela era feita. No Museu da Inquisição vimos um cofre de quase 500 anos em processo de corrosão pela ferrugem enquanto turistas apoiavam até garrafa d'água nele sem o mínimo de incômodo dos guias. O próprio guia (um dos melhores que conhecemos) nos mostrou sem nenhum cuidado como se abria o cofre.

Recomendamos que procure uma agência e se informe das credenciais de quem vai te acompanhar. Pergunte por uma indicação no posto de informações turísticas da Plaza de la Aduana.


Como se localizar, dinheiro, vistos, vacinas e saúde


As avenida e ruas da Colômbia se cruzam como um tabuleiro e se chamam Carreras (Cra) e Calles (Cll).

Os endereços são: Cra Cll-número. Por exemplo, se você ouvir um endereço como "tercera com seis, numero 11", ele se escreve "CRA 3 no. 6-11" e quer dizer Carrera 3 após o cruzamento da Calle 6, casa número 11.

Se você é brasileiro, não é necessário visto, apenas um documento com foto recente ou passaporte válido.

Não é obrigatório tomar vacinas para viajar para a Colômbia, mas requer atenção se você vai para regiões próximas à floresta. Nós tomamos vacina contra febre amarela e levamos um bom repelente, afinal um pouco de precaução não faz mal a ninguém.

Em relação à comida, não tivemos nenhum tipo de problema. O difícil foi mesmo resistir ao patacon (banana comprida "achatada") com quase tudo.

A moeda colombiana é o peso colombiano e seu símbolo é o COP. Estão disponíveis notas de COP1000, 2000, 5000, 10000, 20000 e 50000. As moedas estão disponíveis em COP20, 50, 100, 200 e 500.



Troque apenas o necessário no aeroporto, pois há uma considerável diferença nas demais casas de câmbio

Fora do aeroporto de Bogotá, conseguimos COP1.950,00/US$, COP2.552/Euros e COP770,00/R$, enquanto os valores pagos no aeroporto eram de COP1.910,00/US$ e COP650,00/R$. 

Já em Cartagena, encontramos euros por COP2.500 próximo à Plaza dos Coches, cotação bem parecida com a do aeroporto de Bogotá. É preferível trocar em outros lugares, como no bairro de Bocagrande por exemplo. Entretanto, evite trocar dinheiro com os vendedores de rua para não ter problemas. Faça uso sempre das casas de câmbio.

Uma forma fácil de conversão de real para peso colombiano é multiplicar por 1,2 e dividir por 1.000 (tirar 3 zeros). Então se você quer saber quanto vale COP10.000, use este raciocínio: 

COP10.000*1,2 --> 12.000/1.000 --> R$12,00.

Obs.: Alertamos que todas as cotações aqui informadas são pertinentes a março/2014, portanto é importante que o leitor verifique novamente na data de sua viagem.

Veja mais detalhes sobre estas e outras dicas na publicação Bogotá - Dicas gerais.


Compras

Você irá encontrar vendedores de artesanato a produtos de fabricação oriental onde quer que você vá, mas há alguns lugares de destaque.


No bairro de San Diego, dentro da cidade murada, você encontrará muita variedade no Las Bóvedas, um antigo depósito de munição transformado em prisão no período republicano e mais recentemente num belo e pitoresco conjunto de lojas.

Em Bocagrande, os preços são melhores do que na cidade murada. Há um mercado variado bem em frente ao Centro Comercial NAO onde você encontrará de lembrancinhas à máscara de mergulho com snorkel (COP30.000/US$15.54). 



No mesmo bairro, você encontra também lojas de roupas de grife por todo o prolongamento da Carrera San Martín (ou KR 2).

Para comprar doces diversos o lugar é o Portal dos doces, bem próximo à Torre del reloj. 

Outro destaque são as lojas de prata e esmeralda. São inúmeras opções com preços incomparáveis ao que encontramos no Brasil. Encontramos brincos de prata 950 (95% de pureza/no Brasil a pureza é de 92,5%) cravejado de esmeraldas por cerca de COP300.000 (US$155.44). Encontramos também crucifixos de prata e esmeralda por aproximadamente COP170.000 (US$88.08). 

A dica são os Museos de las esmeraldas. Apesar do nome, eles de museus não tem nada, são lojas mesmo.


Gastronomia e vida noturna

Para os boêmios, a noite de Cartagena não esquenta antes da meia-noite. Quem procura os clubs, seu lugar é Getsemaní, principalmente na Calle del Arsenal.

Dentro das muralhas, a região próxima da Plaza de los Coches tem boas atrações para quem gosta de dançar, inclusive uma da rede norte-americana Hard Rock Café.

A Plaza de Santo Domingo concentra restaurantes e músicos de rua. Apesar de bastante clichê, dá para fazer uma romântica serenata para a pessoa amada. 

O Parque Fernandez de Madrid é menos turístico, mas também oferece boas opções.

Para um passeio noturno com a cara da cidade, vá de Rumba en Chiva. 



Regado ao legítimo Rum (de marca e qualidade bastantes duvidosas), os caminhões adaptados levam os animados passageiros pela cidade ao som da rumba caribenha. Pagamos COP30.000 (US$15.54) pelo passeio de três horas com direito a uma parada para encontro na muralha com as outras Chivas. Para terminar a noite, o passeio inclui uma hora em uma das suas danceterias. Quem quiser fica, quem não quiser pode voltar ao hotel na Chiva mesmo.

O melhor lugar para o pôr-do-sol é o Café del mar, no alto da muralha próximo ao Baluarte de Santo Domingo, ótimo para curtir o final de tarde.

Se puder, passe um final de semana em Cartagena. É quando ela fica ainda mais alegre.


Transporte

Chegando ao aeroporto, se você não contratou um transfer, a melhor opção é pegar um táxi (são baratos). A ressalva é apenas para a idade dos veículos, então não espere encontrar carros novinhos e reluzentes. O bom disso é contar com a simpatia dos motoristas que fazem questão de falar bem da terra que tanto amam. Aqui é pra se sentir em casa!

Nós pagamos COP18.000 (US$9.32) pela corrida do aeroporto ao nosso hotel em Bocagrande. Do hotel para a Torre del Reloj, pagamos COP6.000 (US$3.10), uma pechincha!

Ainda no aeroporto, vão insistir muito para te ajudar com as suas malas. Eu afirmo com certeza que você não vai precisar, pois o aeroporto é pequeno e o ponto de táxi é bem na saída da porta de desembarque.

Para transitar dentro das muralhas, o melhor é andar a pé. As ruas são estreitas e nem sempre vai encontrar facilmente um táxi, além de ficar tudo bem pertinho.

O alerta é para quem vai para o Convento La Popa, pois a subida passa por uma região da cidade que não é segura e a subida é bastante tortuosa e íngreme. O fato é que os taxistas não se dispõem para ir para lá sem uma corrida que valha à pena. Então combine com um deles a corrida de ida, o tempo de espera lá em cima e a volta no mesmo pacote. Vão te cobrar cerca de COP45.000 (US$23.32) pela corrida, mas você pode conseguir por bem menos com um pouco de choro.

Como éramos em cinco e não dava para pegar um táxi só, preferimos pegar o passeio de Chiva (os pitoresco carros de turismo), considerando que o convento faz parte do roteiro. O ruim é a limitação de tempo e a baixa qualidade dos guias que acompanham o passeio.


Segurança

Não há com o que se preocupar em relação à segurança enquanto você estiver na cidade murada ou na Bocagrande. Se Cartagena já era segura na época sombria das guerrilhas, agora é mais ainda. O maior risco que você vai correr por lá é se irritar com a insistência dos vendedores e dos guias autônomos.

Entretanto, lembre-se que você está num país pobre e onde há pobreza há violência urbana por mais repressão que haja. Enquanto estivemos na cidade, nós não nos sentimos seguros em Getsemaní e no trajeto do Convento La Popa. 

Se pretende sair do roteiro turístico, recomendamos que se informe melhor nos postos de apoio ao turista. O maior deles fica na Plaza de la Aduana, mas há dois menores na Plaza de San Pedro Claver e outro na Plaza de los coches.

Ah, se você for espanhol, infelizmente vai pagar parte da conta dos seus antepassados. A turma de lá cobra mais caro por qualquer coisa que vocês fazem.


Está com dificuldades para escolher seu hotel? Então confira nossas dicas.

Veja também o roteiro detalhado do que fizemos em Cartagena das Índias.

Acompanhe outras publicações da nossa viagem pelo ChileColômbia e Peru.



#Colombia #CartagenadasIndias #CartagenadeIndias #Cartagena

11 comentários:

  1. O passeio da chiva rumbera (a noite) tambem passa pelo castelo de san felipe e convento de la popa ou só o passeio da chiva durante o dia?

    ResponderExcluir
  2. Gostei das dicas. Uma pergunta: Transfer do hotel ou Taxi? Qual sairia mais barato? Do aeroporto ao hotel são 5 km mais ou menos e o hotel cobra COP 30000.00 por pessoa o transfer ida e volta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O táxi sai mais barato com certeza. Não vale à pena o transfer.

      Excluir
  3. Olá, José Neto,
    Vocês utilizaram ou sabem se existe um guarda volumes para deixar as malas no aeroporto de Cartagena? Ficaremos lá alguns dias e passaremos dois dias em San Andrés, mas a passagem para San Andrés foi bastante barata e não inclui bagagem, então temos que deixar no aeroporto.
    Obrigada,
    Marília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Marília,
      Não sei informar se há guarda-volumes no aeroporto de Cartagena. Sugiro você negociar com o hotel que vocês vão ficar em Cartagena. Se eles tiverem uma boa estrutura, acredito que aceitarão guardar as bagagens.
      Boa viagem!

      Excluir
  4. parabéns, muito elucidativo o seu texto! Gostaria de saber valores de transporte até as Islas del Rosario e o valor do transporte la dentro, de uma ilha pra outra. Queria ficar uma noite, ir cedo, aproveitar o dia, dormir e aproveitar mais um dia em outra ilha e ai retornar. Há taxas para adentrar as ilhas? Obrigada in advance ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prazada leitora, sugiro que você leia nosso roteiro em Cartagena. Lá você encontrará mais dicas sobre Islas del Rosario e as principais atrações de Cartagena.
      http://www.borapralacomigo.com.br/2014/08/cartagena-das-indias-colombia.html

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...