domingo, 21 de janeiro de 2018

Cidade das artes e das ciências em Valencia, Espanha

Apesar de Valencia não ser tão conhecida e visitada como Madri e Barcelona, sua localização faz dela um ótimo pit-stop quando se viaja da Andaluzia para a Cataluña (quase 900 km de estrada!). Mas não é só por isso que recomendamos conhecê-la.

Valência a terceira cidade da Espanha em tamanho e terra natal de um dos mais renomados arquitetos da atualidade: Santiago Calatrava. Suas obras de traços curvos fazem do local um verdadeiro espetáculo de arquitetura.



Nós fomos conhecer uma de suas principais obras, a CIUDAD DE LAS ARTES Y LAS CIENCIAS (Ciutat de les arts i les Ciències na língua valenciana), e contaremos pra vocês como foi.

BORA PRA LÁ COMIGO?




O leito do Rio Turia foi desviado em 1957 devido a uma grande cheia que devastou a cidade. Em 1989 houve então a decisão de se construir um museu de ciências no mesmo local, mas somente em 1996 foi iniciada a construção da CIDADE DAS ARTES E DAS CIÊNCIAS (CAC).

A controvérsia em torno do projeto perdura até hoje, tamanho foi o endividamento da cidade após a construção da obra. Mas, como tudo isto tem pouca ou nenhuma importância para nós (meros turistas), vamos nos ater à sua beleza e valor arquitetônico.

A CAC é dividida em seis espaços: Museu de les Ciències, Oceanogràfic, Hemisfèric, Palau de les arts, Umbracle e Ágora. Vamos conhecê-los?


Museu de les Ciències Principe Felipe


A principal atração do museu é a interatividade! Há painéis que mostram como funcionam as coisas mais diversas, desde os órgãos do corpo e sentidos humanos até a energia elétrica. É diversão garantida para pequenas e grandes crianças.



Há várias exposições interessantes. Destacamos a mostra das diversas fases dos dinossauros ...



...  e a que explica pra que servem os cromossomos.

Outra exposição bem interessante é a "gravidade zero". Ela dá aos visitantes a oportunidade de conhecer como funciona a estação espacial européia. Não percam o "cubo"! Ele é coberto de espelhos onde se projetam imagens do espaço e da Terra.



A arquitetura do museu é outro aspecto que não passa despercebido. Seu formato representa o esqueleto de uma baleia. Consegue visualizá-la? Nós não (rsrsrs).



Há ainda um café no térreo do edifício.


Oceanogràfic



Este é maior aquário da Europa com mais de 500 espécies marítimas distribuídas em 42 milhões de litros d'água. Cada ambiente representa os principais mares e oceanos do planeta: Mediterrâneo, mares tropicais, temperados, zonas úmidas, oceanos Ártico e Antártico e Mar Vermelho.



Vale destacar que as coberturas do Restaurante Oceanário e do edifício de acesso foram desenhados por outro grande arquiteto espanhol: Félix CandelaSeu formato foi inspirado num lírio aquático.



O principal destaque para nós foi sem dúvida o túnel que passa por baixo do tanque de tubarões. É simplesmente INCRÍVEL!



De repente você se depara com tubarões, arraias e peixes passando por cima da gente. Bem pertinho!



Outra área bem legal é reservada aos pinguins. Claro que o ambiente aqui é bem frio, mas não há como não se divertir com esses bichinhos desengonçados. Se você tiver sorte de encontrar um espaço, pode conseguir uma boa foto.


Apesar de bem organizado, alguns setores decepcionam pela pouca variedade de espécies, como por exemplo a área reservada para os animais de clima tropical.



Ainda assim, vale muito a visita porque você tem a oportunidade de transitar dentro do ambiente onde ficam as aves. Dica importante: cuidado com o "bombardeio aéreo" dos pássaros quando estiver dentro da esfera, senão vai ser sujeira na certa.



A área destinada aos golfinhos é outro lugar legal. Veja o horário dos shows com antecedência se tiver interesse.



O Oceanogràfic dispõe também de restaurantes para os mais diversos paladares.


Hemisfèric

O Hemisfèric funciona como cinema IMAX, planetário e projeções a laser. Em termos de arquitetura, a ideia da construção foi imitar um olho gigante - o "olho da sabedoria". Foi o primeiro a ser inaugurado em 1998.




Palau de les Arts Reina Sofia

Concebido no formato um besouro gigante, o Palau de les Arts funciona como sala de ópera e centro de arte moderna. Olha ele à direita do Hemisfèric!



São quatro grandes salões: Sala Principal, Aula MagistralTeatro Martín Y Soler e o AnfiteatroConfira a programação no sítio oficial (www.lesarts.com).


Umbracle

O Umbracle oferece um espaço para caminhadas entre plantas selvagens típicas das regiões mediterrânea, valenciana e tropical, além de esculturas de artistas contemporâneos. Há também um ótimo mirador no lado norte com vista panorâmica para o complexo. O acesso é grátis.



A parte inferior abriga o estacionamento do complexo com vagas para mais de 600 veículos dispostos em dois andares.




El Pont de l'Assur de l'Or e Ágora

A partir do museu, visualizamos a ponte que liga o lado sul de Valencia com a Calle Minorca. Sua torre de sustentação é o ponto mais alto da cidade (125 m). E a Ágora é um espaço que abriga concertos, congressos e eventos esportivos.




Exposições temporárias

Durante a nossa visita estavam em exposição as obras do artista Manolo Valdés. Esta é uma das grandes vantagens de uma cidade com espaços voltados para cultura. Oportunidades de conhecer obras de artistas diversos passam a fazer parte da rotina do lugar.



Essas obras estavam dispostas no espelho d'água ao lado do museu. Você também encontrará quiosques e mesas para comer alguma coisa e relaxar.




Informações importantes

Onde ficar

Como nossa estadia na cidade seria de apenas duas noites, optamos por ficar hospedados perto da Ciutat de les arts i les Ciències. Escolhemos Holliday Inn Express Ciudad de las Ciencias pelo melhor custo/benefício.

Nossa avaliação do hotel foi boa (nota 8,3), com ressalvas apenas para o café-da-manhã pouco variado e o espaço apertado onde é servido. Pasmem: recebemos uma senha com o horário recomendado para evitar esperar na fila. Ele tem nota 8,0 no Booking.

Há ainda um shopping com supermercado vizinho ao hotel, o que facilitou e reduziu os custos as refeições (bastante).


Gastronomia

Você não vai sair de Valência sem comer uma paella, certo? Afinal, foi aqui onde ela foi criada! Nossos agradecimentos a quem teve essa deliciosa ideia.



Nós fizemos questão de experimentar a legítima paella valenciana e escolhemos o restaurante La Marcelina, um dos mais tradicionais da orla de Valencia. Além do atendimento muito atencioso e comida maravilhosa, ainda dá pra curtir um ótimo passeio.




Preços e horários

Pode-se comprar ingressos combinados mais baratos, mas é recomendável ficar atento ao tempo e tamanho de cada lugar, principalmente se estiver com crianças. Nós compramos entradas para visitar o museu e o oceanário num mesmo dia e foi bem cansativo.



Preços

Crianças
Menores de 4 anos não pagam. Entre 4 e 12 anos pagam tarifa reduzida.

Entradas (adultos/reduzida):
Hemisfèric: 8.80/6.85
Museu de les Ciències: 8.00/6.20
Oceanogràfic: 29.70/22.30
Palau de les Arts: 10.60/8.10

Entrada Conjunta37.90/28.80 - permite visitar o Hemisfèric, o Oceonogràfic e o Museu de les Ciències num intervalo de até 3 dias desde que não se repitam os locais
Hemisfèric + Museu de les Ciències: 12.60/9.60
Hemisfèric + Oceanogràfic: 31.90/24.10
Museu de les Ciències + Oceanogràfic: 31.30/23.70

Horários

Museu
Baixa (09/1 a 06/4, 16/10 a 05/12 e 11/12 a 23/12): segunda a quinta das 10h-18h e sexta a domingo das 10h-19h
Alta (01/7 a 10/9): 10h-21h00
Média (demais períodos): 10h-19hs.

Hemisferic
Visitas guiadas: 11h30 e às 13hs segunda a sexta-feira


Estacionamento

Horário: segunda a domingo das 08h-00h30

Preço/ dia (é necessário comprovar a compra de qualquer entrada para o CAC).


Sítio
www.cac.es



#Borapralacomigo #Espanha #Valencia #CiudaddelasArtesylasCiencias #CiutatdelesartsilesCiencies #Cidadedasartesedasciencias 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...