domingo, 4 de março de 2018

Bora passear em Sevilha (parte 1)?

Você consegue imaginar uma cidade cuja origem é anterior ao Império Romano, foi uma das joias do domínio islâmico na Europa e ainda deteve o porto onde chegavam todas as riquezas vinda da América espanhola? Pois esta é Sevilha, capital da Andaluzia, sul da Espanha.



Nossa viagem pela Espanha chega a sua quarta mais populosa cidade. Mas não é por isso que vale visitá-la: Sevilha é uma das cidades mais ricas culturalmente de todo o país.

BORA PRA LÁ COMIGO?

Diz uma lenda que Sevilha foi fundada há 3.000 anos pelo deus grego Hércules. Mitologia à parte, o fato é que ela guarda relíquias até do Império Romano. Foi nesta região que se deu a batalha final entre romanos e cartagineses (206 a.C.) e posteriormente onde foi fundada a primeira colônia romana (denominada de Itálica).

O período islâmico começou a partir do século VIII, tendo seu maior esplendor a partir do século XII sob o domínio Almohade. Foi nesta época que foi construída a Mezquita Mayor (no mesmo lugar da atual Catedral de Sevilha). A cidade foi reconquistada pelos cristãos em 1248.

O século XIV foi marcado pela construção do Palácio Mudejar dentro das muralhas do antigo Alcazar Islâmico. Este é um dos lugares mais imperdíveis da Andaluzia.

O século seguinte foi uma das épocas mais ricas ($$$) de suas história, quando ela deteve o monopólio do comércio com a América Espanhola. Sevilha se tornou uma das maiores e mais importantes cidades do mundo. 

Apesar de tanta riqueza, o século XVII marcou o declínio da cidade principalmente depois que uma praga vitimou metade de sua população. O assoreamento do Guadalquivir e a transferência do monopólio do comércio com as Américas para Cádiz no século XVIII também contribuíram para sua perda de importância.

No início do século XX, o Guadalquivir acabou sendo transformado em canal, mas felizmente sua navegabilidade foi devolvida para a Expo'92. Por falar no século passado, Exposición Iberoamericana de 1929 nos presenteou com um dos lugares mais incríveis que visitamos: a Plaza de España.

Roteiro

Dia 1



A primeira parte do nosso roteiro em Sevilha começa na Plaza Virgen de los Reyes. Este é o lugar ideal para começar a conhecer a Catedral, pois sua importância e beleza não estão somente no seu interior. A fonte e as carruagens dão o tempero para as fotos.



"Vamos construir uma igreja tão grande que as futuras gerações pensarão que éramos loucos", já diziam os arquitetos no início da construção da Catedral de Santa Maria de la Sede. A grandiosa obra se deu entre os séculos XV e XVI no local da antiga Mesquita Mayor. Esta é uma das maiores catedrais católicas do mundo!




Nosso primeiro destaque do seu interior é o túmulo de Cristovão Colombo. Convém dizer que há controvérsias em relação à localização dos restos mortais do descobridor das Américas. Alguns estudiosos acreditam que eles não estão em Sevilha.



Outro destaque muito legal é a Capilla Mayor. Foi construída em homenagem à padroeira da Catedral, Santa Maria de la Sede.



O Retablo Mayor é o maior não só da Catedral, mas de todo o mundo! São 44 painéis folheados a ouro, ...



... onde estão representadas mais de 1.000 figuras bíblicas da época de Jesus Cristo


Recomendamos também que você não perca a sala do tesouro. As joias são simplesmente impressionantes!



O campanário da Catedral foi instalado no antigo minarete mourisco: La GiraldaToda a parte superior acima dos sinos foi adicionada no século XVI, já sob domínio cristão. A origem do nome vem do catavento que fica no seu alto: "el giradillo"Pode-se subir para apreciar a vista e há uma curiosidade incomum - a subida não se dá por uma escada, e sim por uma rampa contínua. O objetivo era possibilitar o uso de cavalos.



Contornando a Catedral, temos a oportunidade de conhecer um pouco mais da história da colonização espanhola das Américas no Archivo de IndiasO edifício foi construído no final do século XVI para abrigar a Bolsa de Mercadorias. Atualmente guarda documentos relacionados à época. A iniciativa de reunir o acervo foi do imperador Carlos III no final do século XVIII.



Agora vamos explorar um pouco as margens do Rio Guadalquivir. Nossa primeira parada será num dos pontos mais relevantes para a história da cidade: a Torre del Oro.


A torre mourisca foi construída em 1220 como parte da antiga muralha de defesa. Nesta época Sevilha era governada pelos árabes Almohades

Havia outra torre na margem oposta do rio e as duas eram ligadas por uma corrente de ferro com a finalidade de evitar que embarcações inimigas subissem o rio. A provável origem do seu nome está no fato que era aqui que aportavam as riquezas vindas da América Espanhola. Outra versão conta que a torre era coberta de telhas de ouro. Qual você acredita ser a verdadeira? Atualmente abriga um pequeno museu marítimo com mapas e objetos.

Logo abaixo da Torre del Oro, você pode pegar o passeio de barco pelo rio. O cruzeiro turístico dura cerca de uma hora e passa pelos principais locais de interesse às margens do Guadalquivir.



Nossa próxima parada é um pouco controversa, mas, mesmo que você seja contra as touradas, há de concordar que elas fazem parte da cultura espanhola. Vamos conhecer uma das arenas mais importantes e a mais antiga (1758) do país: a Plaza de Toros de la Maestranza.



A visitação à arena é exclusivamente guiada e conta um pouco da história das corridas de touros. Você vai perceber o respeito que eles têm por tudo que envolve as touradas. A riqueza das vestimentas é de impressionar.



Um dos momentos mais legais da visita é sem dúvida quando a gente entra na arena. 



Dá até pra imaginar um dia de tourada com a casa cheia.


A dica pra quem quer conhecer a Sevilha de tradição mais popular é atravessar a Ponte de Isabel II, mais conhecida como Ponte de Triana, até o bairro de Triana. Na época medieval, o bairro ficava fora dos muros da cidade e era pra onde se mandavam as pessoas indesejadas. Posteriormente o bairro ganhou uma forte identidade com a classe trabalhadora. A ponte foi construída em 1852 e foi a primeira sob o Guadalquivir.



O bairro também ficou marcado por ter sido o local da primeira sede da temida Inquisição Espanhola em 1481: o Castillo de San Jorge. Apesar de destruído após os 325 anos de terror, suas ruínas foram descobertas na década de 90 e no seu lugar há um museu que conta os detalhes macabros da época.

Nossa próxima e última atração do dia fica na Plaza de la Encarnación, a cerca de 1,5 Km da Ponte de Triana: o Metropol Parasol, ou, como ficou mais conhecido, Las Setas de la Encarnación. A vista do alto é uma das mais matadoras da cidade.



Dá pra imaginar que é tudo madeira? Pois é. Os sevilhanos reivindicam o reconhecimento dele como a maior construção em madeira do mundo. Polêmicas à parte, vale você saber que "seta" significa cogumelo em espanhol. E onde estão os tais cogumelos? Observe o formato dos cinco pilares que sustentam a parte superior em formato de colmeia.



Se você quiser conhecer um pouco mais da história de Sevilha, a construção do Metropol Parasol, além de revitalizar uma região quase morta da cidade, revelou importantes ruínas romanas. Elas estão cuidadosamente expostas bem ao lado no Museo Antiquarium.

Nosso primeiro dia em Sevilla terminou com uma bela jarra de sangria e uma tábua de frios num dos bares do Metropol Parasol. Nossa próxima publicação mostra pra você mais um monte de lugares legais na capital da Andaluzia. Topa ir com a gente?



Informações importantes

Onde ficar

Como os hotéis perto do centro são muito caros, nós optamos ficar um pouco afastados, mas com a condição de não perder muito tempo com deslocamento. Escolhemos o Silken Al-Andalus PalaceEle possuía na data desta publicação avaliação 8,2 no Booking (nossa nota foi 8,8!).

O hotel é simplesmente incrível. Além de possuir academia, salão de beleza, piscina e restaurante, o acesso de ônibus para a Plaza de España também é rápido e fácil (fica localizado nas proximidades do estádio do clube de futebol Real Bétis). Não poderíamos deixar de mencionar o atendimento diferenciado e o café-da-manhã espetacular (ah, que saudade do jámon ibérico!).


Quando ir

Desaconselhamos visitar a Andaluzia no auge do verão (julho e agosto), sobretudo pelo clima seco. Vale lembrar também que o período coincide com as férias da maioria dos europeus. Para se ter uma ideia do calorão, pegamos 41 graus centígrados no início de setembro. Pior é que a recepcionista do hotel nos falou que duas semanas antes bateu na casa dos 45!

Durante a Semana Santa, convém reservar seu hotel com bastante antecedência, pois a festa é uma das mais tradicionais da Espanha. Os hotéis aumentam bastante seus preços e costumam lotar. A Semana Santa e a Feria de Abril são os períodos mais festeiros para conhecer a cidade e quando ela pode ser vista de forma mais peculiar.

Se pretende viajar no inverno (entre novembro e fevereiro), saiba que algumas atrações fecham no auge da estação. Vale a pena checar antecipadamente.

Quer uma dica? Vá entre os meses de maio e junho ou entre setembro e outubro.


Horários e Preços

Archivo de Indias
Endereço: Calle Santo Tomás
Horário:
Segunda-feira à sábado: 09h30-16h45
Domingo: 10hs-14hs

Castillo de San Jorge
Endereço: Plaza del Altozano
Horário
Segunda a sexta-feira: 09hs-13h30 e 15h30-20hs
Sábado e domingo: 10hs-14hs

Cruceros Turísticos Torre del Oro
Preço: Adulto/crianças €14,00/Grátis
Horário
Verão: 11hs-22hs
Inverno: 11hs-18hs
Saídas de 30 e 30 min, com duração de uma hora
Sítio: www.crucerostorredeloro.com

Catedral de Sevilla - La Giralda
Endereço: Plaza Virgen de los Reyes
Horário
Segunda-feira: 11hs-15h30
Terça-feira a sábado: 11hs-17hs
Domingo: 14h30-18hs
Preço:
Adulto/Criança: €9,00/Grátis
Gratuito às segundas-feiras das 16h30-18hs
É recomendável comprar as entradas antecipadamente se você pretender visitá-la na alta estação.
Sítiowww.catedraldesevilla.es

Metropol Parasol - Las Setas de la Encarnación
Endereço: Plaza de la Encarnación
Horário:
Domingo a quinta: 10h30-00h
Sexta-feira e sábado: 10h30-01h
Preço€3,00
Sítiowww.metropolsevilla.com

Museo Antiquarium
Endereço: Plaza de la Encarnación
Horário:
Terça-feira a sábado: 10h00-20h30
Domingo: 10h-14h30
Preço€2,10

Plaza de Toros de la Real Maestranza - Museo Taurino
Endereço: Paseo de Cristóbal Colón, 12
Horário: 09h30 às 20hs / até as 15 hs nos dias de tourada
Os passeios são guiados (em Espanhol e Inglês) e saem de 30 em 30 min.
Preço: Adulto/criança €7,00/€4,00
Sítiowww.realmaestranza.com

Torre del Oro - Museo Naval
Endereço: Paseo de Cristóbal Colón
Horário:
Segunda a sexta-feira: 09h30-18h45
Sábado e domingo: 10h30-18h45
Preço€3,00; segunda-feira grátis



#borapralacomigo #Espanha #Sevilha #Sevilla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...