sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Ontario - de Niagara a Montreal

Niagara Falls - Canadá
Uma das maiores vantagens para quem viaja por conta própria é sem dúvida poder se "perder" no meio do roteiro e fazer o que nosso coração manda sem a preocupação com os horários e outros inconvenientes dos pacotes fechados. E por mais pesquisa que se faça sobre determinado roteiro, sempre esperamos ser surpreendidos por uma cidadezinha pitoresca, um restaurante no meio do nada ou mesmo o deslumbre que a natureza nos proporciona.

Foi assim que passamos por Niagara Falls, Kingston e Thousand Islands no sul do Estado de Ontario, Canadá.





A etapa que vamos mostrar hoje começou em Toronto (veja a postagem que fizemos mês passado) e vai até Montreal, mas tínhamos que ir até um pouco mais ao sul na famosa Niagara Falls (130 Km. de Toronto) para começar. Daí foi só pegar o carro e botar o pé na estrada (ou melhor, as rodas!).



Niagara Falls


O barulho feito pela montanha de água que despenca de uma altura de 52 m. de altura impressiona. São duas grandes cachoeiras, a Canadense Horseshoe Falls



e, separadas pela pequena Goat Island, a estadunidense American Falls (também conhecidas como Bridal Veil Falls). 



A canadense tem 800 m. de largura, já a segunda é bem mais modesta. 

As Cataratas são formadas devido à diferença de altura entre o Rio Niagara e os lagos Erie e Ontário. Apesar das hidrelétricas terem diminuído o seu volume de água, houve um fator benéfico para o turismo que foi a diminuição da velocidade da erosão provocada pelas quedas de cerca de 1 m. para 30 cm. por ano.


O Guia Visual Folha divide a cidade em três seções. Ao sul ficam as Cataratas, a oeste fica a avenida dos hotéis, a Lundy's Lane e ao norte onde fica a Bridge Street, região comercial, terminais de ônibus e de trem. Vamos nos concentrar na região das Cataratas.


Se você gosta de um pouco de adrenalina, o barco Maid of The Mist leva até bem perto das quedas (desde 1846!). Prepare-se para o banho! As saídas são a cada 15 min.



O Journey Behind the Falls também leva até bem pertinho das Horseshoe Falls sob outra perspectiva. Elevadores descem por dentro da rocha até o Table Rock Welcome Centre

Uma opção menos "molhada" é o passeio Great Gorge Adventure. Uma passarela de madeira segue margeando o Rio e permite observar de perto a força dos seus redemoinhos e cachoeiras.




O sítio do Niagara Parks dá opção de compra antecipada com desconto do pacote de atrações. Além das que já citei, achei bastante interessantes o Botanical Gardens e o Butterfly Conservatory.

Quer uma boa vista panorâmica de todas as cataratas? Então vá até a Skylon Tower. A torre possui um restaurante e abre também à noite quando pode-se ver a beleza das Cataratas iluminadas.




Uma opção mais radical é o passeio de helicóptero. Por questões de tempo, não fizemos, mas recomendo você dar uma passadinha do sítio da Niagara Helicopters e pensar com carinho a respeito. Já tivemos oportunidades de fazer passeios semelhantes em outras cidades e não nos arrependemos.

Quer mais detalhes? Visite o sítio oficial de turismo de Niagara Falls.



Que me desculpem os canadenses e estadunidenses, mas, puxando um pouco para o lado dos brasileiros e argentinos, as cachoeiras deles não são tão grandes assim quando comparadas às nossas magníficas, estonteantes e impressionantes Cataratas do Iguaçu. Qualquer dia desses escrevo para vocês sobre lá.

Uma boa dica para quem vai passar mais dias na região são as vinícolas. Se é apreciador da apaixonante bebida de Baco, a região é uma grande produtora de vinhos. Visite o Wine Country Ontario.


Para terminar fica um alerta para quem pretende dar um pulinho do outro lado da fronteira. Cuidado se você tirou o visto de entrada única no Canadá para não ter problemas quando for cruzar de volta para o Canadá.



Kingston



A distância que separa Niagara de Kingston é de 390 Km., mas passa rápido se você apreciar a margem do lago Ontário, principalmente ao chegar na região específica de Kingston.


Aqui estamos a meio caminho entre Toronto e Montreal, o que a torna uma conveniente parada para quem vai de uma metrópole a outra.

A cidade que já foi sede da Província Unida do Canadá (1841 a 1844) cresceu graças à riqueza gerada pelos bem sucedidos construtores de navios. Possui um belo casario e vários bons museus, desde os que exibem a história da ocupação dos Grandes Lagos (Marine Museum of the Great Lakes) aos que fazem representações teatrais de soldados ingleses da época da colonização (Old Fort Henry).




Mas a graça mesmo é o chame do seu centrinho preservado desde o séc. XIX que mantém o ar histórico até os dias de hoje. Casas em estilo Vitoriano complementam a atmosfera do lugar.





The Thousand Islands

Esta é a porta de entrada dos grandes navios que sobem do Rio São Lourenço para os Grandes Lagos. O pontilhado formado por cerca de 1.800 ilhas do Rio São Lourenço distribuídas na fronteira dos dois países têm um charme diferenciado. Do lado canadense, há passeios que partem de várias cidades (inclusive Kingston).




Uma boa opção de saída é a Rockport Boat Line que sai da cidade de mesmo nome.

Numa das opções de roteiro, você pode visitar o extravagante e inacabado Boldt's Castle. A construção foi interrompida em 1904 quando a esposa do proprietário faleceu.


Aqui vale novamente o alerta para a questão dos vistos de entrada Canadense e estadunidense para os países que ainda precisam, como é o caso do Brasil.



Estamos a 290 Km. da próxima etapa, uma das cidades mais encantadoras que já visitamos: Montreal.


Quer saber por onde passamos na nossa viagem pelo Canadá? Visite o Resumo da Viagem.


Um abraço e até a próxima!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...