sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Paris (regiões da Tour Eiffel e Hôtel des Invalides)


Na segunda parte do nosso roteiro em Paris, vamos escrever para vocês sobre uma das regiões mais lindas da cidade: os arredores da Tour Eiffel e do Hôtel des Invalides.



Além da famosa obra prima de Gustave Eiffel, a região guarda preciosidades arquitetônicas e históricas que não podem passar em branco numa visita a Cidade Luz.

Como de praxe, começamos o dia na estação de metrô Place d'Italie (a mais próxima do nosso hotel) e descemos na estação Varenne (linha 12), bem pertinho da nossa primeira parada, o Musée Rodin. Foi quando nos deparamos com um belíssimo céu azulado e um sol maravilhoso, cenário perfeito para um dia de caminhada pela cidade. 



Talvez por conhecer muito pouco do escultor, eu confesso que mesmo antes da viagem só tinha uma obra de Rodin em mente: O pensador. Mas o museu tem muito mais que isso. 



Auguste Rodin (1840-1917) foi um dos maiores escultores franceses e viveu no Hôtel Biron de 1908 até sua morte, local onde hoje fica o seu museu. 

Surpreendi-me com o jardim onde fica disposto parte do acervo.

Uma das obras que mais me emocionou foi Os burgueses de Calais



Saindo do museu continuamos nossa promenade (ou 'caminhada' em bom Português) até a Église du Dôme. Você pode até não saber identificá-la, mas certamente já viu a presença marcante da sua redoma dourada em alguma foto ou vídeo sobre Paris. 



Nada poderia representar melhor a megalomania de Napoleão Bonaparte I e, não é por acaso, é lá que estão guardados seus restos mortais. 



A église foi originalmente construída para ser a capela particular de Louis XIV.




Os restos mortais de outros honorários franceses também estão guardados no mausoléu, como os do Marechal Foch, que comandou as tropas aliadas na sangrenta 1a. Guerra Mundial.



Mesmo que você não seja tão amante da História quanto eu, vai gostar de saber que a Église du Dôme é parte do Hôtel des Invalides, onde, além do túmulo de Napoleão I, você ainda encontrará os museus: Armas e armaduras antigas (século XIII ao XVII), Louis XIV à Napoleão III (1643 a 1870) e As duas Guerras Mundiais (1871 a 1945), este último incluindo a guerra contra a Prússia. Simplesmente I-M-P-E-R-D-Í-V-E-L!



O Hôtel des Invalides foi encomendado por Louis XIV em 1670 para abrigar os veteranos de guerra feridos que não tinham um lar.

Nesta viagem exploramos em detalhes o túmulo de Napoleão e a história das duas Guerras Mundiais. É incrível como a história se conecta através de fatos que muitas vezes não conhecemos. Tive a oportunidade de entender o porquê de tamanha rixa entre a Alemanha e a França na 2a. Guerra Mundial e que isto não foi um fato isolado (você sabia que a região onde ficava a Prússia é hoje parte da Alemanha e que os dois países travaram outra guerra sangrenta no final do séc. XIX?).

Depois deste banho de História, hora de bater perna e nada mais inspirador que conhecer o maior símbolo da cidade: a Tour Eiffel!

O famoso monumento foi construído para a Exposição Universal (1889) em comemoração ao centenário da Revolução. Mede 324 m e foi o edifício mais alto do mundo até 1931, quando foi inaugurado o também famoso Empire State Building em Nova York. O detalhe é que ela deveria ser desmontada após a Exposição. Para sorte de milhões de turistas, permaneceu como parte da paisagem parisiense, tornando-se um dos maiores símbolos da cidade.

Saindo do Hôtel des Invalides, caminhamos em direção ao Champs des Mars para tirarmos aquelas fotos clássicas como fazem todos que passam por lá. Foto com a torre na mão, foto com beijinho apaixonado, foto do cunhado, foto da foto...............enfim, lá está ela à nossa disposição pelo tempo que quisermos.



Sinceramente, subir na Torre é um programa de turista que eu abri mão quando me deparei com uma multidão querendo fazer a mesma coisa. Como eu já tinha feito isto na minha primeira visita há um bom punhado de anos, não perdi nada de novo. Entretanto, se é a sua primeira vez na cidade, não deixe de ir. Mas recomendo seriamente que chegue bem cedo, de preferência antes de abrir, para não perder preciosas horas na fila.  

Mais uma dica: a Torre é o único monumento não coberto pelo Paris Museum Pass, portanto, é um custo extra para quem comprou o cartão.

Saindo da Tour Eiffel, atravesse o Rio Sena e chegue à Place du Trocadéro e ao Palais de Chaillot, chegando ao lado contrário do Champ de Mars

A vista da Torre é m-a-t-a-d-o-r-a

Fique algum tempo curtindo o local e aprecie a mudança dos jatos das fontes d'água.



Em estilo neoclássico, o Palais de Chaillot foi projetado para a Exposição de Paris de 1937.



Se você ainda não estiver cansado de museus militares, visite também o Musée National de la Marine e o Musée de l'Homme que ficam ambos no Palais de Chaillot.

Para finalizar o dia com uma bela vista da cidade, pegue o metrô na estação Trocadéro (linha 9), faça a baldeação na estação St-Lazaire  para a linha 12 e desça na estação Abbesses. Você estará em um dos bairros mais pitorescos e artísticos de Paris: Montmartre.


Maiores detalhes, visite os sítios do Musée Rodin, Musée de l'Armée e da Tour Eiffel.


Próximo post escreveremos sobre algumas atrações culturais noturnas da cidade de Paris

Quer saber mais sobre nossa viagem ao país mais visitado do mundo, veja o resumo da viagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...