sábado, 1 de junho de 2013

Marseille (Vieux Port, Canebière, Palais Longchamp e Rue Saint-Saëns)


Continuamos nossa viagem por Marseille iniciando o dia com um passeio a pé até o Palais Longchamp.


Partindo novamente do Vieux Port, o sol nos permitiu tirar fotos do seu entorno e observar melhor o Hôtel de Ville

Apesar de Marseille ter sido bastante bombardeada durante a 2a. Guerra Mundial, o prédio sobreviveu e nos presenteia com a sua presença marcante na Quai du Port.



Foi durante este passeio que descobrimos onde iríamos jantar à noite na despedida da cidade e experimentar a famosa Bouilabasse: a Rue Saint-Saëns.

Começamos a caminhada em direção ao Palais Longchamp pela interessante Canebière, repleta de lojas (para quem gosta/não é meu caso) e cafés.

Uma boa dica para quem gosta de cafés e doces é que os provençais são divinos. Pare na Torrefaction Noalles Canebière no número 56 e não deixe de experimentar o Calisson e um bom café gourmet.

Café tomado e boca adoçada pelo Calisson, deparamo-nos com a imponente igreja de St-Vincent-de-Paul. Não deixe de entrar.

Prosseguindo nosso passeio, entramos no sem graça Boulervard de la Liberation. Chamou-nos a atenção a quantidade de estabelecimentos fechados e ofertas de venda e aluguel. É uma pena.

Entramos na Rue Espérandieu e foi então que avistamos o imponente e belo Palais Longchamp. Infelizmente os cabos de força aéreos e carros estacionados prejudicam um pouco a vista, mas não retiram a beleza do Palácio.

A sua construção foi de 1862 em comemoração à chegada das águas do Rio La Durance via Canal de Marselha e abriga os Musée des Beaux-Arts e o Muséum d'Histoire Naturelle.

Seus jardins são um convite a um piquenique com queijos e vinhos, obviamente. É lá que fica também o Observatiore de Marseille.





Experimente visitar o sítio da cidade para maiores informações sobre o lugar.

Outra dica legal para quem vai viajar para a França é que os restaurantes fecham por volta das 14h00. Portanto, não deixem para almoçar após este horário, caso contrário vão ter de se virar com as lanchonetes e cafés.

Para voltar ao Vieux Port, uma ótima opção é utilizar o Tram, rápido e barato. As entradas são vendidas nas tabacarias e tem uma no número 97 do Boulevard Longchamp, bem próxima ao Palais.

Nosso próximo ponto de parada foi a praça Espace Julien. Apesar de repleta de mesas de restaurantes e muitos anúncios de espetáculos, a praça estava em reforma e não foi agradável. Não valeu à pena.

Retornamos a Rue Saint-Saëns próximo ao Vieux Port para a esperada Bouilabasse. Há muitas opções na área a preços bem competitivos (cerca de 15 euros por pessoa) e escolhemos o L'Esquinade (38 Place Thiars).

O restaurante é bastante agradável e caloroso, mas o atendimento não foi bom. Foi salvo por outro garçon que é filho de portugueses e ao perceber que somos brasileiros cobriu as falhas do outro.

Começamos pedindo como entrada mexilhões e ostras gratinadas. Estavam muito bons!

Olha o mico!

Imagine uma sopa de peixe que cozinha até não sobrar nada inteiro e com um gosto que você não diferencia se é peixe, carangueijo ou molusco. Esta é a bouillabaisse

Pode ser que você goste, mas não me agradou. De qualquer forma, nunca me arrependi de uma aventura, mesmo que seja gastronômica.

Para finalizar os comentários sobre Marseille, não posso esquecer de mencionar o hotel, pois exceto por uma atendente um pouco mal-humorada não tenho nada a reclamar do Mercure Viex Port. Perto das principais atrações, café-da-manhã maravilhoso, próximo a galerias e lojas, e, como a reserva foi feita com antecedência, tivemos um bom custo-benefício.


No dia seguinte pegamos nossa "espaçonave" rumo à Avignon, cidade base da nossa viagem pela Provence, mas essa história contarei na próxima semana.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...